No 2º dia de Aviesp, Brasilturis promove palestras sobre turismo LGBT

0
Alex Bernardes, diretor da ViaG, faz palestra sobre turismo LGBT na Aviesp 2018

A Aviesp 2018, realizada nos dias 12 e 13, no Expo Dom Pedro, em Campinas (SP), promove capacitações para os agentes de viagens do interior do Estado de São Paulo, e o Brasilturis dá a sua contribuição na arena que leva o nome do jornal, onde debate segmentos importantes do turismo.

No primeiro dia de evento, o tema foi turismo na terceira idade. Nesta sexta (13), o assunto é turismo LGBT. A primeira palestra do dia ficou a cargo de Alex Bernardes, diretor da revista ViaG (a única revista especializada em turismo LGBT, com 10 anos de mercado e publicada pela Editora Via, a mesma do Brasilturis) e do Fórum de Turismo LGBT do Brasil, realizado pela ViaG.

Potencial econômico

Com o tema, “O respeito alavanca vendas”, ele começou falando da visibilidade que os homossexuais tem alcançado nos últimos anos, devida a dois fatores: inclusão e poder de consumo. No Brasil, estima-se que de 8% a 10% da população seja LGBT. São mais de 18 milhões de pessoas que movimentam R$ 150 bilhões por ano na economia, segundo a ABTLGBT (Associação Brasileira de Turismo LGBT).

“É um público que consome mais lazer, cultura e turismo”, disse Bernardes. “Para atingir este público, você pode começar incluindo um LGBT na sua equipe”, indicou.

Segundo a OMT (Organização Mundial do Turismo), 10% dos turistas do mundo são LGBT e responsáveis por 15% do faturamento do setor. 94% deles dizem que não viajariam para destinos com leis anti LGBT, daí a importância de se manter bem informado para atender este público.

Considerando o comportamento de compra de viagens, 71,6% compram viagens online de forma independente; 23,3% compram em uma agência online e apenas 6,1% compram em agência de viagem física. Destes, 94% afirmam se sentir constrangidos de revelar sua orientação sexual na hora da compra.

Dicas

“Muita gente tem vergonha de pedir um pacote para comemorar a lua de mel com seu parceiro ou de pedir um orçamento para o casamento em um hotel por exemplo. Por isso, é importante se mostrar friendly. Você não precisa colocar uma bandeira do arco-íris na entrada da agência, você pode ter só um adesivo pequeno na vitrine ou uma bandeirinha pequena no balcão ou, ainda, um membro LGBT na equipe. Os gays são atentos aos detalhes e eles vão perceber”, disse Bernardes.

Foram exibidos vídeos que mostram o preço da exclusão dos LGBT e de grandes marcas que fizeram ações para este público e estão lucrando no segmento, como Coca-Cola (campanha interna “Essa Coca-Cola é Fanta), Burger King (campanha “Por dentro todo mundo é igual), Gol Linhas Aéreas (que se filiou à IGLTA – International Gay and Lesbian Travel Association – e deu matéria de capa de sua revista de bordo com a família do estilista Alexandre Herchcovitch), Skol (com uma lata especial para a parada LGBT de São Paulo) e Doritos (Doritos Rainbow).

Outra dica do palestrante foi a cartilha do Ministério do Turismo, que pode ser acessada neste link.  O diretor da ViaG aproveitou a oportunidade para convidar os agentes de viagem para a 2ª edição do Fórum de Turismo LGBT do Brasil, que será realizado no dia 5 de junho, em São Paulo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here