Norwegian Air reporta prejuízo de US$ 135 milhões no 1ºT2019

A low cost atribui parte do valor ao embargo de 18 aviões Boeing 737 Max 8 da companhia
Efeito Low Cost

A Norwegian Air reportou um prejuízo de US$ 135 milhões no primeiro trimestre do ano. O valor, aliás, representa uma queda de 9% em relação ao mesmo período de 2018. A low cost atribui parte do valor ao embargo de 18 aviões Boeing 737 Max 8 da companhia.

A receita total do trimestre, contudo, foi de pouco mais de US$ 1 bilhão. O valor é 14% superior ao do primeiro trimestre de 2018. A companhia afirma que o valor foi impulsionado, principalmente, pelo crescimento intercontinental e pelo aumento do tráfego nos países nórdicos.

“Estamos satisfeitos com os desenvolvimentos positivos neste trimestre, apesar dos problemas do 737 Max. Tomamos uma série de iniciativas para melhorar a rentabilidade, reduzindo custos e aumentando a receita”, destaca o CEO da Norwegian Air, Bjorn Kjos.


LEIA MAIS:
+ Veja fotos da estreia do voo low-cost da Norwegian entre Rio e Londres
+ Norwegian Air chega ao Rio de Janeiro “de olho” em outras capitais
+ Norwegian Air visa quebrar “monopólio” com voo Rio-Londres; veja

 

Em comunicado, a aérea ainda destacou que mais de oito milhões de passageiros voaram durante o trimestre. Representando, assim, um crescimento de 9%. Além disso, o fator de carga alcançou a marca de 81%. Já o custo unitário, excluindo combustível, diminuiu em 8% em comparação com o primeiro trimestre de 2018.


Leia também:
United apresenta visual renovado da parte externa de aeronaves
Rio Galeão apresenta maior evolução entre aeroportos de grande porte
Copa Airlines e Air Europa anunciam acordo de codeshare

Deixe uma resposta