O hoteleiro Guilherme Paulus tomou gosto

Por: Antonio Euryco

O que começou com uma oportunidade ímpar – a aquisição do  hotel Serrano, em Gramado – que se transformaria ao longo dos anos como o principal resort de montanha da hotelaria brasileira -, tornou-se uma corrente de outro segmento positivo na carreira do empresário de turismo Guilherme Jesus Paulus, 40 anos de carreira, nascido em um domingo, às 10 horas da manhã, e que por isto mesmo vê toda segunda-feira com louvor, como um dia de trabalhar prá valer.

 

Foi o que fez neste 17 de setembro, ao reunir a imprensa especializada e veículos de todo o Pais para anunciar em grande estilo os investimentos atuais, próximos e futuros nos empreendimentos que já foram a rede de 14 estabelecimentos, a adequação de novas marcas para a identidade de mercado e alguns dos projetos que pretende levar até 2014 na expansão prevista para a empresa, onde a GJP Participações detém 100%, atuando em 14 estados, com 1,9 quartos.  Sua empresa tem 36,7% da CVC Viagens, operadora sob o controle do grupo americano Carlyle.

 

Exatamente assim – explicando em detalhes como é o histórico da GJP Hotels & Resorts – o novo nome principal de quem já é, com quase 7 anos, a principal rede de hotéis de lazer e com uma carteira de 3,5 clientes, que pretende, em cinco anos, ser uma das cinco principais redes da hotelaria nacional. Ainda neste ano inicia a operação dos empreendimentos em Aracaju, Salvador e no inicio de 2013 no Rio de Janeiro, onde terá o seu primeiro hotel de aeroporto (Galeão), o que prenuncia que concorrer nas licitações dos principais aeroportos – Guarulhos, Congonhas, Viracopos, Confins, Porto Alegre e outros pelo Pais – também faz parte dos planos, como detalhou ao lado de Alberto Grau Neto, o diretor geral da GJP, juntamente com os demais integrantes de primeira linha..

GJPguilhermegrou

 

Outros projetos previstos são um resort na praia do Mosqueiro, em Aracaju, com 300 apartamentos. Em Alagoas, além dos dois onde já opera (o Village Pratagy Resort e o Sete Coqueiros), já dispõe de um terreno de 500 mil m2 para um resort de 300 apartamentos e condomínio na praia de Ipioca. Com o Hotel da Bahia (que deverá ser inaugurado até o final do ano em soft-opening, passando a operar no Carnaval de 2013),  e o hotel Dioro Ilha de Santa Luzia, em Aracaju, como o Brasilturis antecipou, além de ampliações no Serrano em Gramado, de uma villa no Saint Andrews, o all-inclusive da rede, também na Serra Gaúcha, e o Marapiara, em Porto de Galinhas, o total de aplicações do grupo deverá somar R$ 500 milhões.

 

Para esta expansão agora anunciada, a GJP apresentou as três bandeiras com as quais estará convertendo seus empreendimentos no período de seis meses a um ano: a Wish, para hotéis e resorts cinco estrelas; a Prodigy, para quatro estrelas; a Linx, nos hotéis econômicos e a Saint Andrews que aumentar a linha de privilegiados empreendimentos, como aconteceu em Gramado. Campos do Jordão e Petrópolis são dois dos lugares projetados.

 

AE

.

 

Deixe uma resposta