O que mudou?

0

Em agosto deste ano aconteceu a 29º edição da Virtuoso Travel Week no hotel Bellagio, em Las Vegas (EUA). O mundo do luxo de reuniu para muitas discussões, mas a pergunta que ficou no ar foi: Como o setor de viagens de luxo pode evoluir ou se reinventar?

Há alguns anos se fala sobre experiências e isso não é mais nenhuma novidade. É fato que o viajante com poder aquisitivo alto não quer mais aquele luxo ostensivo, ele quer uma viagem que o faça viver momentos únicos que permitam a ele retornar para casa com muitas memórias e interessantes histórias para contar. Mas nem isso, hoje, é suficiente.

Muitas das tendências atuais no mercado de luxo estão apontando para um tema mais abrangente: a viagem tem de levar a uma realização pessoal, a algo ligeiramente intangível, que eleve a alma. Fácil falar, mas difícil de realizar.Propriedades hoteleiras pelo mundo acharam um caminho investindo em fantásticos spas que prometem todo tipo de tratamentos e curas.

Mas e no caso dos agentes de viagens? O que esses profissionais precisam fazer – além de se tornar verdadeiros especialistas – é estar em contato constante com os clientes antes, durante e depois dessas vivências. A atitude certamente vai levar à fidelização, já que o viajante se sentirá amparado em todos os momentos. O agente também precisa saber como personalizar totalmente uma viagem, transformando-a em algo único para que o cliente se sinta especial.

Outro aspecto importante das viagens para esse cliente é a conectividade. O agente de viagens precisa estar muito antenado e as experiências oferecidas precisam desperatar no cliente a vontade de compartilhar nas mídias sociais o que ele está vivenciando. Podemos dizer que hoje, o acesso é o novo autêntico. Segundo Gil Giardelli, professor, estudioso de cultura digital e difusor de conceitos ligados à inovação, a era da informação já acabou e agora vivemos o tempo da participação. O título do livro mais famoso dele já diz tudo: “Você é o que você compartilha”.

A melhor notícia de todas é que a tecnologia atual nunca vai conseguir substituir um agente de viagens bem preparado quando se fala em viagens de luxo. Prova disso é que, em 2016, 84% das vendas acima de US$ 2 mil realizadas por membros Virtuoso foram concretizadas off-line! Afinal, o viajante exigente sempre irá querer ter seu consultor particular.

Para finalizar, guardem em mente três palavras que sinalizam os rumos do turismo de luxo atual: significado, simplicidade e transformação. Para encantar e surpreender, uma viagem do segmento precisa ter essas características combinadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here