“O que vivi no Turismo…” – Juarez Cintra

Em 3 de agosto de 1978, Juarez Cintra ingressava na sociedade de uma agência de viagens – a Vereda Turismo que, então, era a segunda maior agência de Campinas – e entrava para o mercado de turismo. Com 29 anos e sem nenhuma experiência, ele foi motivado pelo interesse que o setor lhe despertava.

Neste mesmo ano, Cintra participou da feira da Abav, realizada no Hotel Nacional, em Brasília (DF), em comemoração aos 25 anos da entidade. Lá, Cintra encontrou Eduardo Nascimento, da Nascimento Turismo, que apresentou outros importantes profissionais ao recém-chegado do Turismo. “Saí da feira conhecendo muita gente”, relembra.

Após dez anos, Cintra abriu, em parceria com sua esposa Sílvia Cintra, a Ancoradouro. O nome foi escolhido porque a primeira representação da nova empresa foi a Sailaway, da Norwegian Cruise Line.

Com o passar do tempo, a empresa foi deixando de ter somente representações focadas no segmento marítimo e foi expandindo, deixando também de ser uma consolidadora com atuação regional. “A Ancoradouro é uma empresa criada entre amigos, com o apoio dos amigos. Sem esses amigos, a empresa não teria existido. Por isso acho que é uma história tão bonita”, comenta.

Confira a história de Juarez Cintra, personagem da semana de “O que Vivi no Turismo”, série criada e desenvolvida pelo Brasilturis Jornal.

Quatro décadas de história

Neste ano, o Brasilturis Jornal, publicação pertencente à Editora Via desde 2016, comemora seu 40º aniversário. Para celebrar a data, homenageia 40 profissionais, com mais de 40 anos de atividades em Turismo, divulgando suas histórias, experiências, dificuldades e conquistas. A cada semana estreia um novo episódio, todos estão disponíveis na Web TV do portal Brasilturis.


Deixe uma resposta