Ocupação hoteleira de Alagoas chegou aos 76,2%

Por: Camila Oliveira

 

Segundo dados do Boletim Hoteleiro de Ocupação divulgado pela Secretaria de Estado do Turismo, em Alagoas, a ocupação hoteleira do mês de março continua acima da média brasileira. Mesmo apresentando uma queda de 6,85% no registro de ocupação da hotelaria, comparada ao indicador do mesmo período no ano passado, o estado ficou com 76,2% de ocupação.

 

De acordo com o Fórum de Operadores da Hotelaria do Brasil, em 2011, o País alcançou uma média hoteleira de 61,1%. Já Alagoas ficou com 71,3% no mesmo período. Com os novos empreendimentos hoteleiros, que resultam no aumento da oferta de leitos, de 2011 para 2012, por exemplo, o estado possui agora mais de 1,5 mil novos leitos. “Por isso, é natural que ocorra uma diluição temporária no índice até que a demanda se estabilize. Mas, é bom salientar que o fluxo de hóspedes crescer mais de 5% nesse período”, explicou o superintendente de Investimentos da Secretaria de Estado do Turismo, Marcos Pradines. Só em 2012, Alagoas recebe mais 4 novos hotéis.

 

Já média da ocupação do primeiro trimestre de 2012 chegou aos 79,6%. Outro fator importante é o fluxo de passageiros no aeroporto Zumbi dos Palmares que até o mês de março trouxe no acumulado mais 400 mil turistas.

 

Segundo a secretária de Estado do Turismo, Danielle Novis a malha aérea continua sendo um dos principais entraves para o desenvolvimento pleno do turismo, não só em Alagoas, mas como em todo o Nordeste.

 

“Para diminuir a deficiência da malha aérea e a sazonalidade turística, a Secretaria de Estado do Turismo tem trabalhado na divulgação do destino com campanhas institucionais em diversos mercados, adota estratégias para diminuição de tarifas aeroportuárias, busca incentivos para Alagoas, articula com operadores e companhias aéreas para atrair novos voos, estimula o segmento de eventos e negócios na região, e em parceria com a Infraero trabalha para reverter a situação da malha, além de ações pontuais”, declara Danielle.

 

CO

 

 

 

Deixe uma resposta