Parauapebas (PA) quer se consolidar como destino turístico

Município investe no desenvolvimento da atividade para substituir a mineração

0
Marcos Alexandre Santos, secretário de turismo de Parauapebas

À frente da Secretaria de Turismo de Parauapebas (PA) desde 2017, Marcos Alexandre Santos acumula conquistas: ele estruturou uma equipe técnica de trabalho, o comitê municipal de turismo e o fundo municipal de turismo.

Com isso, a cidade está cada vez mais exposta ao trade. Na WTM Latin America, o estande próprio reuniu uma equipe de 23 pessoas. Outras feiras de turismo virão daqui para frente, como a ABAV (em que já participaram em 2018), a BNT Mercosul e o Festival JPA em 2020. Outras ações previstas são a realização de famtours para agentes de viagens e press trips para jornalistas.

“Hoje, a principal fonte de renda da cidade vem do minério, mas as estimativas apontam que a exploração só será possível por um período de mais 40 a 80 anos. A alternativa é o turismo e temos a meta de nos consolidar na atividade em até 10 anos”, afirma.

O turismo já é explorado no município, que é o quarto mais rico do Brasil por causa da exploração de minério – 27% das cavernas ferríferas do Brasil estão lá.

Das 1.600 cavernas ferríferas, duas são exploradas para o turismo, onde é possível conhecer como é a formação do minério de ferro. A atividade faz parte de uma rota de ecoturismo, um dos focos da cidade que possui mais de mil hectares de área preservada e é a única do Brasil a ter iluminação 100% LED, segundo Santos.

Parauapebas possui 5 rotas turísticas:

  • Rota do Búfalo – inclui visita a fazendas onde é possível degustar queijo e leite de búfala, colher abacaxis, conhece a apicultura e colher mel na hora em roteiros de turismo rural.
  • Rota das Águas – visita ao Garimpo das Pedras, que tem balneários de águas termais que saem da terra à temperatura de 46ºC.
  • Rota dos Carajás – é a principal rota, com foco em ecoturismo. Tem trilhas, cachoeiras, mirantes naturais, birdwatching e cavernas ferríferas com acesso à área de extração do minério.
  • Rota City Tour: visita à cidade e seus pontos turísticos e culturais.
  • Rota Indígena: visita à aldeia com experiências únicas como pintura corporal, danças típicas, culinária, entre outras.

A gastronomia reserva surpresas, como o café à base de caroço de açaí, o queijo de búfala que premiado e a cerveja artesanal do município.

Com tantos atrativos, a cidade recebe também turistas estrangeiros, principalmente para a atividade de birdwatching, que dá a possibilidade de observar 620 espécies de pássaros.

Com tanto potencial, Parauapebas está se preparando para o turismo. “Estamos investindo em sinalização turística, num centro de atendimento ao turista e vamos iniciar a construção do centro de eventos, com investimento de R$ 4,5 milhões. Vamos fazer mais de 400 capacitações no trade local e queremos chegar a mais de 1.600 leitos”, prevê o secretário.

Um exemplo dessa preparação é a criação do Centro Mulheres de Barro, que desenvolveu um artesanato com as características locais. Cerca de 20 pessoas produzem peças de cerâmica de forma sustentável, inspiradas em artefatos arqueológicos de 6 mil atrás encontrados na região antes da abertura de minas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here