Parintins: terra dos bois-bumbás e de encantos naturais

A magia da ilha é notável em todos os cantos, seja em um passeio de barco para admirar o pôr do sol, a visita na comunidade vizinha ou conhecendo os pontos turísticos em um triciclo

Parintins
Foto: Vanessa Leal/Brasilturis

Conhecido pelos locais como Ilha da Magia ou Ilha Tupinambarana, Parintins (AM) é a ilha da hospitalidade, dos bois-bumbás, do folclore, da religiosidade e, também, de encantos naturais em seus arredores. Chegar até a ilha não é fácil, mas com certeza fará toda a viagem valer a pena, seja por via aérea ou fluvial.

Parintins, apesar de girar em torno do maior festival folclórico do mundo, não se resume apenas a isso – claro, que o motivo do destino receber muitos de seus turistas e visitantes é através do evento, mas se engana quem pensa que a região é só isso.

A terra do “Caprichoso e Garantido” é coberta de atrativos pouco explorado por visitantes, como belos lagos e praias de areias brancas. Há também aqueles passeios mais comuns, que costumamos fazer nos lugares que visitamos: assistir ao pôr do sol. Mas, ver esse espetáculo em pleno rio Amazonas, o maior rio do mundo com a maior floresta tropical do planeta e ao som dos pássaros, é emocionante.

Passeio de barco em Parintins

No passeio de barco é possível contemplar a rica fauna e flora, inclusive assistir aos golfinhos fluviais, mais conhecidos como boto-cor-de-rosa.

Já em terra firme, a melhor forma de conhecer os atrativos locais, como um verdadeiro parintinense, é utilizando o meio de transporte mais comum por lá: o triciclo, que é patrimônio cultural e imaterial do estado do Amazonas. O passeio vai de um ponto a outro e custa em média R$ 10. Mas também é possível negociar um roteiro personalizado.

Bumbódromo

Depois do passeio de triciclo, é bom bater perna para conhecer Parintins. E um dos lugares com visita obrigatória é o Bumbódromo. A arena sedia, durante três dias, o maior festival folclórico do mundo, que apresenta o embate entre os dois bois-bumbás mais famosos, Caprichoso e Garantido.

O que poucos sabem, é que no estado existem vários bois-bumbás, e a cultura dos bois é algo que se aprende desde cedo nas escolas. Segundo uma pesquisa realizada em 2021, pelo projeto “Hoje Tem Festa de Boi”, apontaram mais de 120 bois-bumbás em 23 cidades do Amazonas.

Assista o vídeo abaixo para conhecer o Festival de Parintins:

Ao desembarcar no aeroporto Júlio de Belém é possível ver o quanto a cidade é envolvida com a cultura e o quanto eles movimentam não só o turismo, mas a economia local.

Durante o festival a cidade inteira para, torce e vibra pelo seu boi. As ruas ficam cobertas por bandeiras azul e vermelha e a movimentação de visitantes e moradores é grande. Um dos hábitos dos comerciantes locais é colocar a televisão do lado de fora, e durante o festival não é diferente.

As empresas patrocinadoras, como Bradesco, Coca Cola, Lojas Americanas e outras, mudam o logo para as cores azul e vermelho. Ou, como no caso da Bohemia, nas latinhas tem fotos dos bois. O Festival é a verdadeira Copa do Mundo dos parintinenses, e não tem como não se emocionar e vibrar com o clima da ilha e do festival.

Para aqueles que se interessarem pela história dos bois, é possível conhecer tanto o Curral do Garantido, que fica localizado na tradicional Baixa do São José, quanto o Curral do Caprichoso, localizado no centro de Parintins.

Gastronomia e cultura

O Mercado Municipal de Parintins, de arquitetura portuguesa, é outra parada obrigatória, principalmente quando o assunto é a culinária local. O local é uma ótima opção para degustar e apreciar pratos típicos. Com mais de três mil espécies de peixe no rio Amazonas, a iguaria acaba sendo o carro chefe na gastronomia amazonense, além da carne de búfalo.

Tombada como Patrimônio Cultural Brasileiro e inaugurada em 1981, a Catedral Nossa Senhora do Carmo é a paixão da ilha, e todos os anos atrai centenas de romeiros que vão à Parintins em busca de benção.

Em julho, o município recebe a segunda maior festa religiosa do estado, em homenagem à padroeira da Diocese de Parintins, Nossa Senhora do Carmo. Um dos momentos que se destacam é a chegada da imagem da Santa, trazida por romeiros e parintinenses. Durante o Festival Folclórico e a Festa da Padroeira a catedral abre a torre, que tem 32 metros de altura, para visitação no valor de R$ 5.

Com vista de tirar o fôlego para o rio Amazonas, a Praça Digital tem uma excelente estrutura para receber visitantes e moradores. Com mirante, palco, píer e restaurantes, a praça tornou-se principal placo de festas populares e apresentações artísticas. O Kwati Club, que possui uma infraestrutura de hotel, também conta com palcos para shows e eventos e marina.

O artesanato local tem forte presença na ilha, inclusive durante o Festival, quando as mulheres se enfeitam com penas e sementes. As peças são confeccionadas com palhas, penas, raízes de árvores e outros materiais naturais.

Atrações perto de Parintins

Nos arredores de Parintins, também há muitas atrações que valem a pena, como a Serra de Parintins, localizada na divisa entre o Amazonas e o Pará, possui uma formação geográfica de 152 metros de altitude e uma vegetação rica e espessa, emoldurada pelo Lago da Valéria, um dos atrativos naturais do lugar.

Outro lugar imperdível, a apenas 30 minutos, é a Comunidade do Maranhão. O restaurante e pousada da Peta é uma boa opção para aproveitar o dia e pernoitar em um dos quartos. São notáveis a simplicidade, o aconchego, a hospitalidade e a excelente receptividade de todos da Comunidade.

Próximo ao rio Uaicurapá, conhecida pelos locais como Caribe Parintinense, estão localizadas as praias fluviais mais belas, com areias brancas e as ilhas do Pacoval, das Onças e das Guaribas. Durante o verão, o lugar é destino certeiro para se refrescar.

  • Comunidade do Maranhão
  • Comunidade do Maranhão
  • Comunidade do Maranhão
  • Comunidade do Maranhão

Dicas de viagem para Parintins

O Amazonas é um destino para todos os gostos, bolsos e públicos. Desde o que busca por história, agitação, praia até para aqueles que querem contemplação e experiência em meio a floresta.

Para chegar até a ilha existem duas formas: fluvial ou aéreo. Do porto de Manaus saem barcos, lanchas e iates até Parintins. E do aeroporto de Manaus há voos direto.

Vale lembrar: o sinal de celular em Parintins é um pouco ruim e há comércios que não aceitam cartão, apenas dinheiro.

O Brasilturis Jornal viajou a convite da Amazonastur com Seguro Viagem Affinity


Leia também: Amazonastur: Festival de Parintins supera número de visitantes de 2019

Deixe uma resposta