Passageiro… O que é o que é?

Todo profissional que atua em qualquer uma das áreas ligadas a viagens sabe que o passageiro é a pessoa mais importante para o seu negócio

0
passageiro

A palavra tem origem no antigo francês passagier (passager, atualmente), possuindo diversos conceitos e uma boa quantidade de “vizinhas” que não apresentam vínculo familiar e nada têm a ver com o vocábulo original. De acordo ao Dicionário Aurélio: “Passageiro é um local por onde passa muita gente; Algo transitório, efêmero; De pouca importância; Ligeiro, insignificante; Pessoa que viaja num veículo; Viajante de automóvel, trem ou avião”.

No mundo dos profissionais que lidam com transporte, viagens e turismo, a palavra tende a identificar a pessoa que é levada (num veículo e/ou por qualquer outro meio de transporte) de um lugar para outro (por via terrestre, marítima, fluvial e/ou aérea). Passageiro se aplicaria também a algo que passa, que é temporário, de pouca duração, não permanente, ou mesmo de pouca importância. Por exemplo: “esta dor de cabeça é passageira”, “este calor é passageiro”, “esta tristeza é passageira”.

Entre os vocábulos “vizinhos”, encontramos conceitos como passado (um tempo que, em nossa percepção empírica, já passou); de passante (transeunte); de passagem (espaço ou forma que permite atravessar e/ou percorrer para ir de um lado a outro); passagem de ano e passaporte (documento de identidade oficial que autoriza alguém a sair do seu país e ingressar em outro ); entre muitos outros.

Poderíamos também falar em “passar roupa”, “passar um assunto a limpo”, “passar de ano na escola”, “passar um tempo na casa dos tios”, “passar por cima de um desentendimento qualquer”, “passar mal devido à poluição do ar”, etc. Seria, por certo, errado considerar os agentes destas ações (isto é aqueles que “passam roupa” e/ou que “passam de ano na escola”) como passageiros ou, mesmo, passantes.

Chamamos também de “bilhete de passagem” aquele documento que dará permissão para o passageiro utilizar um transporte qualquer. Certamente encontraremos, neste mesmo documento, informações detalhadas sobre o transporte contratado, tais como: trecho incluído para o transporte adquirido, classe ou assento a ser utilizado, eventual direito ao transporte de bagagem acompanhada, dia e horário de saída deste transporte, condições gerais e, até mesmo, contrato entre quem utilizara este transporte ou quem adquiriu ou pagou pelo mesmo, e quem se responsabilizará e/ou operará o transporte em si.

Deveríamos nos referir, preferencialmente, aos participantes de uma excursão ou de um tour e não a “passageiros” de uma excursão e/ou de um tour (apesar da nomenclatura estar correta, especialmente quando a excursão e/ou o tour se realiza, em sua totalidade, a bordo de um mesmo veículo).

Todo profissional que atua em qualquer uma das áreas ligadas a transporte, viagens e/ou turismo sabe, muito bem, que o passageiro é a pessoa mais importante para o seu negócio; que o mesmo não depende dele mas que é ele quem depende do passageiro; que o passageiro faz parte do seu ramo de atividade e não se constitui num estranho em seu ninho; que é o passageiro quem paga o seu salário e que lhe possibilita o seu sustento; que o passageiro merece o seu maior respeito, dedicação e atenção… Sempre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here