Perse: Estudo analisa impactos da PL 5638 a médio e longo prazo

De acordo com a análise, a Perse pode auxiliar na manutenção de empregos e no mais ágil retorno do PIB aos patamares pré-pandemia

Turismo

O G20, grupo das principais associações e entidades do Turismo, apresentou um estudo em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A fim de apresentar o impacto econômico das medidas de alívio fiscal proposta pela PL 5638 (Perse), o documento apresenta análise comparativa entre o cenário sem medidas de alívio fiscal e o cenário com medidas de alívio fiscal.

A PL 5638 visa auxiliar na manutenção das empresas e empregos gerados no setor. Além disso, a ideia é induzir a desaceleração da crise e acelerar o reaquecimento da indústria. De acordo com dados do Novo Caged, o setor de alojamento e alimentação está com saldo negativo em cerca de 12% do seu estoque anterior á crise, resultando no fechamento de mais de 245 mil postos de trabalho.

O estudo mostra que, sem as medidas, a expectativa é que os valores de contribuição do PIB de 2019 seja atingido após 2026. Já com a PL, o cenário apresenta o retorno aos patamares pré-pandemia até 2024. Além disso, foi notado que, com as medidas sendo implementadas, é apresentada uma variação de R$ 2 bilhões a partir de 2023.

Estima-se que o investimento feito pelos segmentos totaliza R$ 5,8 bilhões ao ano, 2% do total de renúncias fiscais realizadas anualmente pelo Governo Federal. Até 2026, esse montante chegaria a R$ 35,3 bilhões no setor de Turismo e Eventos. Segundo o estudo, isso significa um investimento de R$ 2,6 por dia para manter 7,4 milhões de empregos diretos.

O estudo também destaca o efeito multiplicador do setor, que movimenta 571 atividades econômicas, que dará condições de que o Turismo retribua o investimento realizado pela união. Confira o estudo completo:

Deixe uma resposta