Queremos ver mais turistas do Brasil, reafirma Hillary Clinton

Por: Roberto Maia

 

No discurso feito esta tarde no auditório da Confederação Nacional da Industria, em Brasília, a secretária de Estado Hilary Clinton reafirmou a ofensiva do governo norteamericano em contar com mais turistas brasileiros. ‘Nós mal podemos esperar para dar as boas vindas aos futuros cientistas do Brasil em nosso país’,  disse em seu pronunciamento, ao comentar a recente passagem da presidente  Dilma Roussef pela Universidade de Harvard e pelo Massachusetts Institute of Technology, na promoção do  programa Ciência sem Fronteiras.

 

O programa tem como meta enviar 101 mil bolsistas para estudar no exterior – 75 mil financiados pelo governo brasileiro. A expectativa é de que cerca de um quinto deles tenha como destino os Estados Unidos.

 

Acompanhando Hillary, o secretário do interior, Ken Salazar,  disse que os EUA  desejam que, ao chegar, os brasileiros se sintam bem recebidos, inclusive com ‘sorrisos nos rostos’ dos funcionários nos aeroportos americanos. Porem, na questão da isenção dos vistos, ainda deve demorar um pouco mais para se tornar realidade, segundo  Salazar. ‘O processo é longo, mas é certo que estamos com alguns avanços significativos’.

 

Além das cobranças  no setor turístico sobre a isenção de visto, Hillary e Salazar ouviram do setor empresarial brasileiro outras reivindicações antigas, como um acordo de bitributação. ‘A celebração de um acordo para evitar a bitributação continuará entre nossas prioridades’, disse o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Hillary admitiu que a bitributação é um problema e que é necessário redobrar os esforços para firmar um acordo.

 

Tanto o aumento do número de visitantes brasileiros e a questão do visto quanto o problema da bitributação já haviam sido discutidos na visita de Dilma aos EUA.  Cinco dias após a visita da presidenta brasileira, a secretaria americana está em Brasília para alinhar uma seqüência de entendimentos que envolvem reunião no Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, com o embaixador Antonio Patriota. Hillary e o ministro comandam a 3ª Reunião do Diálogo de Parceria Global (DPG) Brasil-Estados Unidos.

 

O Diálogo de Parceria, do qual a secretária de Estado participa, foi criado em 2010, com previsão de reuniões anuais, e tem o intuito de analisar de forma coordenada propostas comuns em várias áreas – como educação, ciência e tecnologia, inclusão social e direitos humanos.

 

Amanhã, dia 17, a secretária de Estado norte-americana se reunirá com a presidenta Dilma Rousseff na 1ª Conferência Anual de Alto Nível da Parceria para um Governo Aberto (cujo nome em inglês é Open Government Partnership), um fórum de participação voluntária. A conferência será presidida por ambos os governos do Brasil e dos Estados Unidos, mas representantes de outros 42 países também participarão dos debates.

 

Antonio Euryco

Deixe uma resposta