Radisson Blu São Paulo investe em experiência para lazer e corporativo

Danieli Pompeu (gerente de vendas) e Karen Stank (gerente geral) trabalham juntas para criar experiências únicas para os clientes

por Felipe Abílio

Após um início lento para o mercado de hotelaria corporativa em 2017, a equipe do Radisson Blu São Paulo comemorou os bons resultados no último semestre com um almoço na tarde desta terça-feira (13) no restaurante do hotel em Pinheiros em São Paulo. Danieli Pompeu, gerente de vendas, contou que grandes eventos que aconteceram na capital ajudaram a melhorar a rotatividade de clientes hospedados.

“O primeiro semestre teve uma retração corporativa muito forte e como recebemos muito público internacional – cerca de 42% dos clientes anuais  – a gente sentiu bastante, mas por outro lado a nossa categoria foi a que menos sentiu o impacto de toda a crise. O segundo semestre teve um complemento com os eventos que aconteceram na cidade como shows e a Fórmula 1, muitas famílias também se hospedaram nos finais de semana”, contou ela.

Com o objetivo de atingir outro segmento de público – mesclar o corporativo com lazer – o hotel está preparando algumas novidades para 2018. Há um mês na gerência geral da unidade, Karen Stank destaca que a ideia do hotel é tentar proporcionar uma experiência única para cada hóspede.

“O nosso DNA é o corporativo, mas isso vem mudando, antes a gente ficava com baixa ocupação nos finais de semana e não tem acontecido este ano, então fizemos mudanças até na escala da governança para melhorar alguns pontos e atender esse público. A ideia é sempre investir não só na estrutura, mas também na parte de serviços. Temos música e espumante para a chegada do cliente, investimos na tecnologia de um aplicativo do hotel que você pode fazer o check-in, pedir serviço de quarto, fazer solicitações, os enxovais todos foram trocados. Para nós é muito importante que o cliente se sinta bem nos apartamentos. A academia foi toda reformada, todos os equipamentos trocados, era um pedido dos clientes e a piscina também passará por uma reforma para ganhar um climatizador”, explicou.

Danieli explicou que o maior desafio de um hotel corporativo é criar atrativos para chamar a atenção do cliente e promete novidades para adultos e crianças no próximo ano.

“Fechamos uma parceria com o Espaço Curumim para a criançada nos finais de semana para que os pais tenham um pouco mais de conforto. Como temos várias igrejas próximas como a Nossa Senhora do Brasil, a partir do ano que vem vamos receber eventos para até 130 convidados, então a noiva pode se casar por perto, hospedar seus convidados todos e fazer a festa com a gente ou até mesmo a cerimônia com a festa no hotel. Com 20 convidados hospedados, os noivos ganham a noite de núpcias especial e a gente cuida de tudo, eles não precisam se preocupar com nada”.

Piscina do Radisson Blu

Para proporcionar essas experiências, o cliente é identificado a partir do momento de sua reserva e a equipe do hotel tenta criar uma atmosfera para cada um.

“Quando a gente recebe uma reserva, o pessoal já dá uma olhada nas redes sociais para ter uma ideia do que esse cliente gosta, o que consome, não adianta a gente ter uma opção enorme de chocolates e a pessoa gostar de castanha. A nossa ideia é deixar a inflexibilidade e topar qualquer negócio que o cliente deseja, a gente quer proporcionar experiências quase únicas para cada um”.

Deixe uma resposta