Retomada MS: pacote governamental oferece auxílio ao Turismo

O Retoma MS é voltado aos profissionais do setor turístico atuantes em bares e restaurantes, guias de turismo, agentes de viagens e organizadores de eventos

RETOMADA MS

O Governo do Mato Grosso do Sul acaba de lançar o pacote Retomada MS, que visa oferecer auxílio financeiro e a diminuição de taxas para atores do setor de bares e alimentos, cultura e turismo. O programa beneficiará com auxílio de R$1.000 reais, por seis meses, empreendedores do Simples Nacional, como guias de turismo, agentes de viagens e organizadores de eventos que atuem nas regiões turísticas do estado.

“É um pacote bem arrojado do Governo que estávamos há meses construindo, ouvindo o trade, especialmente os setores que dentro do turismo mais sofreram com a pandemia de covid-19, porque dependem muito de serviço. Esse é um valor que pode ajudar a segurar as contas até que eles consigam voltar a atuar”, diz Bruno Wendling, diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul.

Para o recebimento do benefício é obrigatório que o profissional tenha aberto a empresa e trabalhado nos últimos 12 meses antes da pandemia iniciar, além de estar vinculado ao Cadastur. A solicitação será feita por um site exclusivo desenvolvido pelo Governo. “Para o auxílio, o cadastramento será trabalhado nas próximas semanas digitalmente, com inscrição no portal que está em desenvolvimento. Estamos aguardando a aprovação da Assembleia. Não serão beneficiadas empresas que foram abertas durante a pandemia, porque o intuito é socorrer aqueles atuantes previamente e que foram atingidos por ela”, destaca.

O pacote Retomada MS conta ainda com a redução a zero do IPVA para veículos vinculados aos segmentos de turismo, bares e restaurantes, e da alíquota do ICMS para microempreendedores e pessoas físicas. Segundo Wendling, os microempreendedores correspondem a 95% do volume do setor, já para os demais empreendedores, a alíquota saiu de 7% para 2%. A medida já em vigor contabiliza também os tributos retroativos do mês de março. A renúncia fiscal prevista para os setores contemplados gira entorno de R$ 14,8 milhões.

Haverá também, liberação de crédito para as categorias mencionadas, no valor de até R$ 30.000, para serem pagos em até 24 vezes. “Os empréstimos serão subsidiados pelo Estado com avalistas e não precisam de garantia nenhuma. Esse pacote é fundamental para socorrer e tentar minimizar os prejuízos desse ano e estabelecer estratégias para a retomada pós vacinação”, conta.

Por meio de editais que serão lançados no segundo semestre deste ano, a Fundação irá destinar 4 milhões de reais, de forma descentralizada, para regiões turísticas, eventos geradores de fluxo e de promoção. Cada edital terá uma série de critérios próprios. Em linhas gerais, serão aprovados eventos que tragam visitantes de outros estados e aqueles realizados ao ar livre terão prioridade, como ações esportivas que promovam o distanciamento social. As iniciativas de promoção e inovação turísticas continuam com foco em campanhas digitais e feiras presenciais.

“Dentro do pacote e concomitante a ele, há ações da Fundtur que estão sendo implementadas desde 2020 como o Plano de Retomada do Mato Grosso do Sul. Em várias das iniciativas contamos com a parceria de empresas como o Sebrae. Esse pacote é um de fato um projeto bem abrangente que auxilia para que caminhemos em direção a retomada, assim que houver imunização total da população”, enfatiza.

Alguns editais já estão sendo lançados, como o de Birdwatching, vertente turística de observação de pássaros e o de formatação de roteiros. Há também a iniciativa Trilhar MS, que conta com 20 consultorias presenciais, além de um edital de apoio a startups para o desenvolvimento de ferramentas tecnológicas.  “Se unirmos as ações da Fundação, auxílio financeiro, mais a ajuda do Governo, entre este ano e o próximo vamos investir 20 milhões de reais aqui no Mato Grosso do Sul”, elenca.

Modernização

O Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande, passará por uma revitalização avaliada em R$ 5 milhões, como parte do pacote Retomada MS. As obras visam promover a acessibilidade e modernização, passando por troca de cadeiras, sonorização, carpete, iluminação e troca de carpete.

“O primeiro orçamento está pronto, que é o de acessibilidade e agora será encaminhado para a construção do termo de referência para a licitação. Como as coisas no Governo não são tão rápidas, eu estimo que as obras iniciem em meados de novembro, para entregarmos ela finalizada ao término dessa gestão. Esse é o compromisso e o desafio”, afirma o presidente da Fundtur.

Projetos e perspectivas

Na primeira quinzena de julho haverá o lançamento de uma campanha de promoção do Mato Grosso do Sul voltada ao mercado interno, a veiculação será em formato online e televisivo. A peça aborda o sentimento do indivíduo em estar no destino MS.  Já a campanha nacional está prevista para ir ao ar entre agosto e setembro em formato online, televisivo e presencialmente na Abav, que acontecerá em Fortaleza (CE).

“A campanha nacional foge do apelo sentimental, ela terá um aspecto mais documental, parecido com os conteúdos do Discovery Channel, mas focada na pessoa. Temos focado cada vez mais na demanda, no tipo de turista e seus interesses”. O olhar humanizado faz parte da estratégia da Fundtur desde a campanha “Visit MS – Você no seu Melhor Estado” de 2020, a qual contemplou o público LGBT+, mostrando que o Mato Grosso do Sul é um destino LGBTQIA+ friendly.

“O público LGBT está muito forte no MS, inclusive seremos um dos principais patrocinadores do Fórum de Turismo LGBT e fomos capa da revista ViaG, com o destino Bonito. Teremos em breve, uma ação com influenciadores do segmento. Depois de um ano, eu já estou vendo resultados com a adesão de quem consome. Logo teremos uma pesquisa segmentada para avaliar o mercado, até porque esse público tem a tendência de crescer”, afirma.

Bruno também reforça a importância da integração com a tecnologia e seu entusiasmo com campanha nacional, além de sua perspectiva para um futuro próximo. “Eu vejo uma retomada para o Mato Grosso do Sul muito boa, principalmente por todas as ações que estamos desenvolvendo desde o início da pandemia, que convergirão em uma volta bem preparada do estado. Fizemos algumas adaptações e praticamente dobramos o orçamento da Fundtur em relação a anos anteriores, então isso vai dar uma vantagem competitiva em relação aos outros destinos. A campanha nacional ficou criativa e vai ser muito divertida ver como ela vai interagir com o público”.

Malha aérea

Além da entrada dos voos da Itapemirim Transportes Aéreos (ITA) que iniciarão em 1 de maio de 2022 – a partir do Aeroporto Internacional de Campo Grande para Brasília e Cuiabá -, Bruno afirma que em breve será anunciada a entrada de uma nova conexão.

Deixe uma resposta