Rio Grande do Norte termina 2019 em crescimento; veja os dados

Para o mês de dezembro de 2019, a projeção foi que mais de 200 mil viajantes estiveram no estado
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Norte. Foto: reprodução.

Nesta terça-feira (14), a Secretaria de Estado do Turismo e Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), divulgaram o balanço setor do Rio Grande do Norte em 2019. Os dados indicam crescimento na aviação e presença de turistas.

Segundo o levantamento, entre agosto e novembro, a aviação cresceu 14% no número de pousos e decolagens. Por mês, a divisão destaca agosto (11%), setembro (13,5%), outubro (18,4%), novembro (14,7%).

As companhias Latam (21%), Gol (10%) e Azul (13,2%), também cresceram, segundo relatório da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Para 2020, estima-se a chegada de voos oriundos de novos destinos na alta estação, como o de Goiânia, e a partir de fevereiro a chegada do voo diário entre Lisboa e Natal, ampliado pela TAP.

A entrada de turistas internacionais aumentou 12%, saindo de 23.748 em 2018, para 27.009, em 2019. Somente no mês de dezembro houve crescimento de 29% em relação ao ano anterior. Os resultados foram obtidos com base na análise dos dados da Polícia Federal.

O movimento de aeronaves foi 44% maior que em 2018. Setembro, dezembro, outubro e novembro foram percentualmente os melhores meses. Considerando embarques e desembarques, a média de crescimento do segundo semestre ficou em 15%.

“Realizamos o levantamento dos números em conjunto com os secretários de turismo dos municípios que possuem as maiores demandas turísticas do estado, além de avaliar dados do aeroporto e também dos hotéis e empresas privadas, pois o dado precisa trazer a perspectiva macro do Rio Grande do Norte”, afirma Aninha Costa, secretária de turismo do estado.

O público argentino, português, chileno e paraguaio são os mais frequentes no Rio Grande do Norte, de acordo com a ocupação hoteleira da capital e o histórico da pesquisa de demanda turística na alta estação, realizada pelo Sistema Fecomércio.

A ocupação hoteleira se manteve na média. Em Natal, os números chegam a 65%; em São Miguel do Gostoso 52%; em Tibau do Sul, Mossoró e Serra de São Bento, 60%. Durante o Réveillon, demanda chegou a 90% de ocupação na capital.

Os números apontam ainda lotação máxima em São Miguel do Gostoso e na Serra de São Bento, além dos 98% em Tibau do Sul, e 70% em Mossoró. “Tivemos um feedback positivo dos municípios do interior do estado no que diz respeito à ocupação do fim de ano, principalmente no Réveillon, com lotação máxima em alguns destinos. Nossa meta agora é promover o RN para aumentar a demanda de 2020 com um trabalho focado na inteligência comercial, atuando em mercados estratégicos para cada período”, afirma, Bruno Reis diretor da Emprotur.

O setor ainda apresentou incremento (30%) na demanda por aluguel de automóveis entre dezembro e a primeira semana de janeiro, além de projetar alta contratação de serviço até o dia 20 de janeiro.

O Sindicato das Empresas de Turismo do RN (Sindetur) divulgou aumento na demanda de operadoras de turismo locais em 11% na. Dentre os destinos e as atividades mais buscadas, está o município de Galinhos e o passeio de barco em Pirangi, no Litoral Sul. Em Parnamirim, a expectativa de crescimento do atrativo é de 30% a 40% em relação à alta estação de 2019.


Leia mais:
Regent Seven Seas anuncia paradas em Fortaleza (CE) e Natal (RN); veja
Rio Grande do Norte faz balanço da atividade turística em 2019
Rio Grande do Norte lança primeira fase de Centro Cultural em Panamirim


 

Deixe uma resposta