Salvador fecha praias, campos e clubes sociais por sete dias

De acordo com Bruno Reis, prefeito de Salvador, a decisão faz parte do plano de ações que visam aliviar o sistema de saúde

Salvador

Bruno Reis, prefeito de Salvador, anunciou nesta segunda (22) novas ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no município. As ações contemplam abertura de mais leitos e o retorno de restrições para aliviar a pressão sobre o sistema de saúde.

A partir da próxima terça (23), todos os campos e quadras públicos serão fechados para a realização de atividades esportivas. A partir de quarta (24), todas as praias e clubes sociais da cidade voltarão a ser fechados. As determinações valerão pelo prazo inicial de sete dias.

O prefeito explicou que as interdições visam ampliar o isolamento social para conter o avanço de casos da covid-19 e evitar um possível colapso na rede de assistência à saúde. No último domingo (21), a taxa de ocupação de leitos de UTI no município chegou a 80% – esse índice tem crescido nas últimas semanas mesmo após a expansão do número de vagas.

Bruno Reis também lembrou que, com o fechamento das praias, clubes sociais, campos e quadras esportivas, somado à interdição dos parques públicos, cinemas e teatros – cujo anúncio ocorreu na semana passada -, Salvador passa a desativar por completo a fase três do plano de retomada das atividades econômicas, culturais e sociais durante a pandemia.

“Conversei com prestadores de serviço neste final de semana, recebi relatório e poucas unidades particulares ainda não chegaram a 100% na ocupação dos seus leitos. Isso se deve, primeiro, ao fato de ter aumentado muito a demanda devido à covid e, segundo, porque existem unidades enfrentando fluxo por outros atendimentos como AVC e doenças de coração, que requerem UTI”, disse.

O chefe do executivo municipal reforçou que, diferente da primeira onda da crise sanitária, atualmente as UPAs da cidade têm recebido muitos pacientes que possuem plano de saúde. “Convoco a população mais uma vez para nos unirmos. Não adianta contratar novos profissionais para ajudar a proteger as vidas, ampliar leitos de terapia intensiva e enfermaria se não houver compromisso de usar máscara, de evitar aglomerações”, afirmou.

Deixe uma resposta