Salvador recebeu 527 mil turistas no Carnaval de 2013

Por: Francieli Spadari

Foi divulgado, hoje, dia 15, pelo secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, em Salvador, os números do carnaval baiano deste ano. Salvador recebeu, durante os sete dias de Carnaval, um fluxo turístico estimado em 527 mil visitantes. A estimativa foi feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (DPEE) da Secretaria do Turismo.

 

A pesquisa de perfil e avaliação dos serviços turísticos, aplicada pela Setur, foi feita atraves de formulários de atendimento do Projeto Guias e Monitores do Carnaval., além dos números de desembarque no aeroporto, rodoviária e porto de Salvador.

 

Do total de visitantes, 88% eram nacionais e 12%, estrangeiros. Os números representam um acréscimo de 6,5% em relação ao ano de 2009, quando foi realizada pesquisa de contagem de fluxo, no mesmo período, contratada à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

 

No que se refere ao perfil do turista, foi observado que o público masculino representou 56% do total, enquanto que as mulheres somaram 44%. A maioria, 40%, encontra-se na faixa etária dos 25 a 34 anos.

 

“Entre os principais mercados emissores nacionais estão São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, e os internacionais são Itália, Argentina, Estados Unidos e Inglaterra”, ressaltou Leonelli. O gasto médio individual dos visitantes foi de R$ 1,9 mil, enquanto que a renda média superou os R$ 5 mil.

 

Dos turistas que passaram o Carnaval em Salvador , 52,8%ficaram hospedados em hotéis e similares contra 39% que optaram por casa de parentes e amigos. A pesquisa também ouviu opinião dos turistas sobre os meios de hospedagem. Cerca de 90% aprovou os hotéis da capital baiana. Do universo pesquisado, 14% adquiriram pacotes em agências de viagem, enquanto que 86% preferiram viajar de forma independente.

 

Entre os serviços que mais agradaram aos turistas, encontram-se os serviços de policiamento, atendimento dos restaurantes, sinalização turística e iluminação dos equipamentos culturais do Pelourinho, além do receptivo especial, o Projeto Guias e Monitores do Carnaval. Os serviços mais criticados foram a falta de limpeza e sujeira das ruas, o transporte urbano deficiente e a insuficiência de banheiros públicos.

 

FS

Deixe uma resposta