Satguru Travel oferece expertise global a operadoras brasileiras

satguru
Vijay Solanki e Ana Paula Dias

Pensar globalmente, agir localmente. A máxima criada pelo sociólogo alemão Ulrich Beck é regra de ouro na estratégia da Satguru Travel, empresa fundada em Kigali, na África Ocidental, em 1989. Com sede em Dubai e escritórios em 72 destinos no planeta – incluindo dois no Brasil -, a empresa tem como principal diferencial a operação própria. Isso permite à DMC conhecer a fundo conhecer as particularidades de cada destino e oferecer um produto customizado, combinando o perfil do viajante com as características culturais de cada local.

O modelo de negócios dispensa a contratação de outros fornecedores, auxilia no atendimento – já que não é preciso considerar o fuso horário para receber a resposta a uma consulta – e inclui a participação essencial de um guia local que fala português e o idioma do destino para acompanhar os grupos por todo o roteiro. “Mais do que se comunicar, eles sabem apresentar a cultura e ajudam em funções básicas, como indicação de trajes para visitas a templos religiosos, melhores pontos para fotografar os atrativos e até explicação sobre custos para orientar a compra de souvenires”, explica Vijay Solanki, diretor da Satguru no Brasil

Atendimento a demandas específicas, extensão de permanência, serviços de última hora, roteiros casados entre diferentes países… Tudo é possível na Satguru. A boa notícia é que a DMC vem atuando no mercado brasileiro há cerca de oito anos, seguindo a mesma receita que a fez crescer de forma sustentável mundo afora. Aos poucos e com planejamento criado sobre bases sólidas.

O primeiro passo foi conhecer o mercado, depois foi a vez de criar um time operacional, em seguida foi contratada a equipe comercial e agora é a vez de investir em promoção e marketing. “O caminho longo leva mais tempo, mas é o mais seguro. Não queremos pular etapas”, resume Solanki.

Reforço comercial

A investida mais recente foi a contratação de Luis Borges como consultor comercial para promover uma aproximação da Satguru, que tem escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro, com as operadoras brasileiras. A expansão em território nacional e pela América do Sul segue nos planos da corporação, mas foi adiada para 2021, em decorrência da pandemia de covid-19.

O planejamento previu estudo de mercados com potencial de emissão e identificou três cidades brasileiras que atendiam aos requisitos necessários para as aberturas. “Não temos conhecimento sobre o que vai acontecer com esses mercados amanhã, então vamos refazer os estudos para ver se eles continuam na mesma situação. Esse processo leva tempo, não dá para acelerar”, defende o diretor.

A chegada do novo coronavírus levou a empresa a voltar suas atenções para a capacitação de colaboradores e prospecção de clientes. Categorizada como gerenciadora de produtos turísticos, a Satguru transita em praticamente todos os setores de Turismo – do corporativo ao lazer, passando pelas DMCs.

“Na África, onde a empresa é muito sólida, além dos roteiros convencionais há ainda a demanda por turismo médico e ajuda humanitária. Temos expertise na logística de transporte de pessoas e de insumos por todo o continente”, explica Ana Paula Dias, gerente comercial da empresa.

Estratégia centrada no B2B

Ela comemora um crescendo gradual na procura dos serviços por parte das operadoras, foco dos negócios da Satguru no Brasil. “Aproveitamos esses meses para apresentar nossos serviços, os DMCs que representamos e nossa proposta de flexibilidade no pagamento. A ideia é preparar o mercado porque, quando a demanda retornar, os colaboradores não terão mais tanto tempo para conhecer as novidades”, completa Solanki.

Além do atendimento imediato, outro diferencial que a Satguru oferece ao mercado brasileiro é a flexibilidade de pagamento. “O Brasil não funciona sem parcelamento”, pontua Solanki, adiantando que a empresa analisa cada caso para viabilizar a venda da operadora para o cliente. O câmbio praticado é abaixo da média do mercado, vale por 48 horas a partir da solicitação e permanece fixo, sem flutuação, a partir do fechamento do negócio.

O pagamento é feito 100% pelo Brasil, evitando a necessidade de fazer uma remessa para o fornecedor no exterior. “Nós pagamos a fatura completa no final do mês e essa responsabilidade não é repassada ao cliente”, garante Solanki. Ana Paula reforça que essas vantagens são exclusivas aos parceiros comerciais e não são extensíveis aos eventuais clientes na compra direta. “Não estimulamos essa venda, não nos promovemos direto para o viajante. Se o cliente vem até mim eu vendo, mas sem a mesma tarifa. Nossas promoções são voltadas exclusivamente ao operador”, pontua.

Estímulo ao inbound

A Satguru também vem fazendo sua parte para apresentar o potencial do Brasil para os estrangeiros, com uma equipe dedicada ao segmento receptivo. “Trabalhamos com vários destinos nacionais para mostrar que o Brasil não é só Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e Manaus”, defende Solanki.

O diretor vem realizado webinars de 30 minutos para apresentar um diferente destino brasileiro às agências internacionais. “Há praias maravilhosas além de Copacabana, em Paraty, Búzios, Ilhabela, Maceió. A hotelaria é diversa e preparada, os empreendimentos de 4 e 5 estrelas têm equipes bilíngues. As pessoas não sabem disso porque o Brasil é pouco divulgado lá fora. Acredito que, com mais conhecimento, as agências podem passar a colocar o País como destino para seus clientes”, projeta.

Solanki finaliza dizendo que a empresa está aberta para receber as diferentes consultas do trade brasileiro. “Temos escritório no Líbano, destino que tem crescido no fluxo de brasileiros devido à comunidade que existe aqui no País. Dá para combinar roteiros no Oriente Médio e na África, Dubai com Singapura, Índia com Maldivas, para 30 passageiros ou apenas para um casal, tudo com o mesmo fornecedor. Somos solucionadores”, ressalta.

Não à toa, a Satguru recebeu nove troféus do World Travel Awards 2020 pela excelência nos serviços prestados. A empresa foi considerada a melhor agência de viagens em Seychelles, Tanzânia, Nigéria e Ruanda; melhor agência corporativa em Dubai; melhor TMC em Singapura e no Zimbábue. Levou também o troféu de melhor agência corporativa do continente africano.

Para saber mais: www.satgurutravel.com.br e (11) 3097-8560/8561

Deixe uma resposta