SeaWorld em parceria com Projeto Tamar

Bill Street (SeaWorld) e Neca Marcovaldi (Projeto Tamar)

Por Christiane Flores

Preservar, cuidar, educar: estes princípios sempre estiveram presentes nas ações do SeaWorld, não só nos EUA, mas também em diversos projetos mundo afora. Com ideais semelhantes, o Projeto Tamar, que há 36 anos trabalha pela preservação das tartarugas marinhas, chama a atenção da equipe do SeaWorld desde 2012. E, a partir deste ano, firmam parceria para trocas de experiências e desenvolvimento do programa ‘Curtir e Preservar’ também no Brasil.

O ‘Curtir & Preservar’ é um programa de arrecadação de fundos diretamente relacionado à venda de produtos extras dos parques temáticos do SeaWorld Parks & Entertainment no mercado brasileiro. Para cada compra, ainda no Brasil, de produtos opcionais ao ingresso, como planos de refeição, corta filas e tours, será doado US$2 para o programa. Todo o montante arrecado será destinado 100% para ajudar projetos brasileiros que apoiam a preservação de espécies na vida selvagem. “Além de incentivar os passageiros a garantirem estes adicionais e agregar valor à viagem, operadores e agentes poderão informar sobre o trabalho sério que o SeaWorld realiza no Brasil, e, ainda, ampliar suas comissões. Manteremos nossos treinamentos, enfatizando essas vantagens para o passageiro e para o agente, agora com um motivo ainda mais especial”, explicou Marjori Schroeder, gerente de relações públicas do SeaWorld na América Latina.

Os produtos extras considerados no programa são: Quick Queue Limited Busch Gardens Tampa; Quick Queue Unlimited Busch Gardens Tampa; Quick Queue Unlimited SeaWorld Orlando; All-day Dining Deal SeaWorld Orlando; All-Day Dining Deal Busch Gardens Tampa; Dine with Shamu SeaWorld Orlando e Serengeti Safari Busch Gardens Tampa.

Marjori Schroeder, Maria Pazmino (gerente de comunicação corporativa do SeaWorld), Jim Kinsler (gerente de aquários do SeaWorld Orlando), Bill Street e  Neca Marcovaldi

Esse modelo de programa, que agora chega ao Brasil, já tem forte atuação no Reino Unido e nasceu com o intuito de valorizar instituições terceiras que compartilham dos mesmos valores do SeaWorld, tanto na preservação das espécies como no comprometimento com a educação.

“É uma grande responsabilidade cuidar e preservar animais. Há anos realizamos este trabalho para transformar as visitas aos parques em grandes experiências. Investimos US$ 14 milhões em projetos pelo mundo e, desde 2015, mais de US$ 70 mil foram destinados para projetos no Brasil. E agora, temos orgulho em apoiar o Tamar, trabalhando juntos, compartilhando nossa missão e expertise”, destacou Bill Street, curador-chefe corporativo de preservação e educação do SeaWorld.

“Ficamos felizes em surpreender a equipe do SeaWorld, que pode vivenciar de perto o trabalho eficiente que realizamos ao longo desses anos. Esperamos que este intercâmbio de experiências e o fundo de conservação, auxiliem nas pesquisas, manutenção e conservação da espécie por muitos anos”, declarou Neca Marcovaldi, fundadora do Projeto Tamar.

O SeaWorld fornece toda a parte administrativa e os custos de operação do fundo, assim como mão de obra e infraestrutura para que possa atuar. Devido a esse importante suporte, é possível que 100% da arrecadação (cada centavo) seja doada diretamente para as organizações.

Ingressos para os parques

Está confirmado o reajuste nos valores dos ingressos para os parques do SeaWorld a partir do mês de abril de 2017. Ingressos com valores atuais ainda podem ser adquiridos, lembrando que são válidos por um ano. Em breve, novas informações e valores serão divulgados.

Deixe uma resposta