Secult-MG anuncia reabertura de seus espaços culturais

Minas Gerais
Ouro Preto, Minas Gerais. Foto: reprodução

A partir de 3 de novembro, os equipamentos da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) iniciarão operações com 50% de capacidade de ocupação, seguindo os protocolos de saúde e segurança no combate á covid-19.

Os equipamentos sob gestão de parceiros, como alguns espaços do Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, por exemplo, têm autonomia sobre o retorno do atendimento presencial e isso está sendo avaliado caso a caso.

No interior, os museus sob administração estadual são Casa Alphonsus de Guimaraens (em Mariana), Casa Guignard (em Ouro Preto) e Casa Guimarães Rosa (em Cordisburgo). A reabertura de cada um deles depende do avanço das ondas do programa Minas Consciente e também da liberação das prefeituras, mas, por enquanto, está prevista para o dia 3 de novembro nas três cidades. A Biblioteca Estadual e o Arquivo Público Mineiro ainda não estão autorizados a reabrir por parte de decreto municipal.

“Estamos comemorando a volta das exposições, espetáculos e museus do Sistema Estadual de Cultura. Essa reabertura tem sido bastante aguardada pelo público e por toda equipe. Importante ressaltar que tudo está sendo conduzido com segurança e respeito aos protocolos do Minas Consciente para que o público possa vivenciar novas e inesquecíveis experiências culturais com total segurança”, aponta Leônidas Oliveira, secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais.

O secretário destaca também que, durante os meses de paralisação das atrações presenciais, foram feitas adequações na programação dos espaços culturais sob gestão do Estado, para garantir a oferta de atividades virtuais e diversificadas para o público.

Protocolos de funcionamento

Além da abertura com até 50% da capacidade do atrativo, os espaços da Secult irão estabelecer a ocupação das áreas com distanciamento de 2 metros entre as pessoas. Haverá avaliação a cada 21 dias para ampliação do limite de participantes das atividades.

Os protocolos possuem especificidades dependendo do tipo de local, assim, para a ocupação em teatros e espaços de espetáculos haverá marcação de assentos; já para museus haverá limitação de um visitante a cada 5m², agendamento prévio, além da habitual obrigatoriedade do uso de máscara e da utilização de álcool em gel.

Como forma de alcançar um público mais amplo, as atividades e ações virtuais devem continuar nestes espaços, ou seja, haverá uma programação híbrida, parte presencial, parte on-line.

Inauguração de mostra no Palácio das Artes

Uma exposição inédita e gratuita marca a reabertura do Palácio das Artes, da Fundação Clóvis Salgado (FCS), vinculada à Secult, também no dia 3/11. A Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard recebe obras dos cinco artistas contemplados com o Prêmio Indústria

Nacional Marcantonio Vilaça. A entrada do público seguirá as diretrizes do protocolo Minas Consciente, com horário reduzido, distanciamento social, higienização e demais medidas sanitárias.

A exposição faz parta da 7ª edição da maior premiação das artes visuais do Brasil, uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). A seleção de obras

à disposição do público mineiro contará ainda com trabalhos da artista Anna Bella Geiger, grande expoente da primeira geração de artistas conceituais latino-americanos e uma das artistas mais importantes do Brasil no século 20, que é homenageada nesta edição

do Prêmio.

A galeria contará com sinalização nas áreas externas e internas para garantir distanciamento mínimo de 2 metros entre qualquer pessoa dentro do estabelecimento. O uso de máscaras – tanto para visitantes quanto funcionários – será obrigatório.

Todos os ambientes do Palácio das Artes serão higienizados diariamente antes da abertura ao público e serão disponibilizados tapetes para a limpeza de sapatos, assim como álcool em gel 70% para desinfecção das mãos. Além disso, a entrada de sacolas, mochilas e afins não será permitida para diminuir a contaminação dos espaços.

Serão permitidos até 12 visitantes por vez na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, que deverão seguir recomendações como evitar conversar, manusear o telefone celular, ou tocar no rosto durante a permanência no interior do centro cultural; cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar; higienizar as mãos ao entrar e sair do espaço; seguir sempre as instruções dos funcionários e não frequentar a galeria caso apresente qualquer sintoma de resfriado ou gripe.

Durante a primeira fase de retomada, a visitação de escolas e atividades educativas serão suspensas e só retornarão quando houver sinalização de estabilização da pandemia pelo Estado de Minas Gerais.


Deixe uma resposta