Segmento aéreo registra queda de 90,97% na demanda em maio

De acordo com indicadores da Abear, o mês de maio foi o segundo pior mês do ano, atrás somente de abril, considerado auge do impacto da pandemia

demanda por voos domésticos

A demanda de voos doméstico teve queda de 90,97% em maio, frente ao mesmo período do ano passado. A oferta de assentos, por sua vez, teve um declínio equiparado de 89,58% na mesma comparação. Os dois indicadores representam o segundo pior resultado mensal desde 2000, com o início da série histórica da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Os desempenhos mais fracos foram registrado em abril, considerado auge no impacto da pandemia do novo coronavírus no setor. Os dados foram compilados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), incluindo operações de suas associadas e números agregados de demais empresas nacionais.

A taxa de ocupação recuou 10,92 pontos percentuais, chegando a 70,80%. Ao todo, foram transportados 538,9 mil passageiros, uma retração de 92,44%. De janeiro a maio, o transporte aéreo acumula redução de 38,29% se comparado ao mesmo ínterim de 2019, com diminuição de oferta de 37,11% na mesma comparação.

O aproveitamento dos aviões ficou em 80,09%, recuando 2,19 pontos percentuais. No total, as companhias aéreas embarcaram 22,8 milhões de pessoas nos cinco primeiros meses do ano, uma queda de 40,76%.

Internacional

A demanda de voos internacionais operados por companhias brasileiras recuou 96,85% em maio, frente ao mesmo mês do ano passado. A oferta teve queda de 95,68% na comparação anual, com taxa de ocupação dos aviões de 62,58%, uma redução de 23,37 pontos percentuais. Foram transportados 16,9 mil passageiros, o que representa uma retração de 97,5%.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o transporte aéreo de passageiros conta com queda de 47,97% em relação ao mesmo período de 2019. A oferta acumula queda de 4501% na mesma comparação, com o aproveitamento dos aviões 78,62%, recuo de 4,48 pontos percentuais. No total, foram transportados 2,06 milhões de passageiros, um declínio de 47,9%.

Cargas

O transporte de cargas e correios teve queda de 52,41% em maio frente ao mesmo mês de 2019. De janeiro a maio, essa atividade já acumula redução de 29,98%.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui