Seychelles terá retorno de cruzeiros a partir de novembro

A ilha irá implementar a necessidade de apresentação de um documento especial para os turistas provenientes de cruzeiros

Navio MS Island Sky, que irá aportar em Seychelles em novembro (Foto - Divulgação)
Navio MS Island Sky, que irá aportar em Seychelles em novembro (Foto: Divulgação)

Seychelles irá receber navios de cruzeiros de até 300 pessoas a partir de 14 de novembro. A ilha receberá o MS Island Sky, a primeira embarcação a aportar na ilha desde o início da pandemia da Covid-19, iniciando a temporada 2021-2022 na região.

O Island Sky, operado pela Noble Caledonia, é um navio de cruzeiro pequeno, com capacidade para 118 passageiros. Antes da pandemia, a embarcação fazia viagens regulares para Seychelles. Agora, a companhia retomará as operações com paradas em Aldabra, Assomption, Farquhar e Cosmoledo.

Em colaboração com as autoridades de saúde, turísticas e portuárias, o Departamento de Turismo de Seychelles implementou novos procedimentos que possibilitam a retomada dos cruzeiros no país.

Os novos procedimentos incluem as responsabilidades das agências locais e dos cruzeiros em relação a Covid-19; as medidas que devem ser tomadas por passageiros e nos terminais durante os portos de parada; as contingências em caso de surto do vírus e a proteção das comunidades visitadas pelos cruzeiros.

O Departamento anunciou também que haverá uma versão marítima da autorização de viagem (emitida online), já pedido por quem chega ao arquipélago africano de avião. O documento será adaptado para cruzeiros e iates e, assim como na chegada por via aérea, será exigido aos viajantes no check-in de embarque.

Na última temporada de cruzeiros marítimos em Seychelles, entre os anos de 2019 e 2020, o porto Victoria, na ilha de Mahé, recebeu 39 escalas de cruzeiros, movimentando um total de 63.442 passageiros e 18.499 tripulantes. Diversas companhias marítimas têm trabalhado ativamente com Seychelles para retomar suas atividades na região e já há cruzeiros programados nas ilhas até fevereiro de 2024.

Deixe uma resposta