Sindetur-SP desconfia que aérea uruguaia BQB possui relações com a extinta Pluna

Por: Rafael Lima

 A companhia aérea uruguaia BQB foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a operar no Brasil. Diante da notícia, o Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo (Sindetur-SP) suspeita que a nova empresa seja a sucessora da extinta Pluna, que encerrou atividades em julho de 2012 por problemas financeiros. A companhia aérea chegou a fazer 90 voos por semana para o Brasil e tornou-se uma das maiores operadoras internacionais aqui. Contabilizando apenas as agências de turismo filiadas ao Sindetur-SP, foram 4,7 mil passageiros não embarcados. Seu último balanço financeiro relata prejuízo de US$ 8 milhões.

 

Eduardo Nascimento, presidente do Sindetur-SP espera que, se a BQB for mesmo sucessora da Pluna, ‘que a Anac cobre dos responsáveis os danos que a paralisação da Pluna causou no Brasil a milhares de passageiros e centenas de agências de viagens’. Há poucos dias, a entidade encaminhou ofício ao presidente do órgão regulador, Marcelo Guaranys, solicitando esclarecimentos da Anac sobre a atuação da BQB: qual sua ligação com a companhia aérea extinta, quais as garantias exigidas para evitar a repetição dos prejuízos causados no passado e que medidas foram tomadas a respeito das indenizações pendentes.

 

 RL

 

Deixe uma resposta