South African Airways descontinua rotas selecionadas; SP é uma delas

Os profissionais responsáveis pela reestruturação da South African Airways estão analisando quais outras iniciativas são necessárias para um retorno lucrativo
SAA South African Airways
(Foto: Divulgação)
¨*Reportagem atualizada às 14h41

Os profissionais que estão à frente da reestruturação de negócios (BRPs) da South African Airways (SAA) anunciaram, nesta quinta-feira (6), que mais iniciativas para apoiar a transformação da companhia aérea em uma empresa sustentável e lucrativas estão sendo realizadas.

“As iniciativas que estamos tomando agora fortalecerão os negócios da SAA. Acreditamos que isso deve garantir aos nossos clientes fiéis que a companhia está se movendo na direção certa. Estamos focados em nossa missão de restaurar a saúde comercial e criar uma aérea da qual os sul-africanos se orgulhem”, comentaram os BRPs.

Os profissionais vem trabalhando em colaboração com especialistas, governo, credores e gerência executiva, a fim de desenvolver um programa abrangente de reestruturação que resultará em um Plano de Recuperação de Negócios, que deve ser divulgado no final deste mês.

Segundo a SAA, tomar medidas urgentes para economizar recursos e criar uma estrutura viável para um futuro bem-sucedido, medidas importantes precisam ser implementadas. Dentre elas, estão mudanças em relação a malha, introdução de aeronaves com menos consumo de combustível, otimização de estruturas organizacionais e renegociação de contratos com fornecedores.

South African Airways: mudanças na malha

Após análise, os BRPs identificaram quais as rotas que serão mantidas, a fim de levar a companhia à sua positiva reestruturação.  A companhia continuará operando todos os serviços internacionais entre Joanesburgo e Frankfurt, Londres Heathrow, Nova York, Perth e Washington via Accra.

Já os serviços regionais a serem mantidos incluem os voos de Joanesburgo a Blantyre, Dar es Salaam, Harare, Kinshasa, Lagos, Lilongwe, Lusaka, Maputo, Maurício, Nairobi, Cataratas Vitória e Windhoek.

A partir do dia 29 de fevereiro, a SAA encerrará as operações entre Joanesburgo e Abidjan via Accra, Entebbe, Guangzhou, Hong Kong, Livingston, Luanda, Munique, Ndola e São Paulo. Na malha doméstica, a aérea continuará a atender a Cidade do Cabo, mas de forma reduzida.

Todos os outros destinos domésticos deixarão de serem operados em 29 de fevereiro. As rotas atendidas pela Mango, subsidiária da SAA, não serão afetadas pelas mudanças. Mais alterações estão nos planos da companhia.

Mesmo com todas essas mudanças, a SAA garante que passageiros e agentes de viagens podem se sentir confiantes em efetuar reservas futuras com a companhia. O horário dos voos para fevereiro permanece inalterado.

Ativos

A companhia também anunciou que programas de racionalização estão sendo considerado para as subsidiárias da SAA, bem como a venda de ativos selecionados. Os BRPs continuarão analisando oportunidades de investimento viáveis com potenciais investidores em relação ao SAA.

O escritório da SAA em São Paulo continua sua operação, de acordo com Rafael Dantas, coordenador de Marketing da companhia aérea no País, pelo até a última operação entre África do Sul e Brasil – fevereiro. “A ideia é que nossa atuação se estenda – em equipe reduzida – para atender clientes, realizar reembolsos e solucionar outras dúvidas.

Contatos podem ser feitos através do telefone (11) 3065.5115 ou pelo e-mail [email protected]

Em entrevista ao Brasilturis Jornal, Altamiro Medici, líder da SAA para a América do Sul, falou mais a respeito dos próximos passos da companhia aérea.


Leia também:

Deixe uma resposta