TAP aumenta em 8% sua oferta

Por: Priscila Ferraz

LISBOA – Durante o segundo dia de BTL, o Brasilturis Jornal pôde conversar com o presidente da TAP, Fernando Pinto, sobre os novos destinos anunciados pela companhia, assim como sobre os resultados apresentados à imprensa e a receita do ano de 2013. Para o executivo, os dez novos destinos (Manaus, Belém, Belgrado, Talim, São Petersburgo, Gotemburgo, Hanôver, Nantes, Panamá e Bogotá) são um grande desafio, ao mesmo tempo em que representam um passo importante da empresa para continuar a busca de novos desafios, culturas e chances de crescimento. “Nós temos, nesses últimos dez anos, mais do que duplicado os nossos destinos na Europa, no Brasil, nas Américas, e sempre com praticamente 100% de sucesso. Diante desse cenário, temos certeza de que os novos projetos também serão de sucesso”, apostou.

 

O executivo destacou a importância de dois destinos nas Américas, Bogotá e Panamá, como uma nova missão, já que a Colômbia se aproxima muito de Portugal por questões de negócios. “Sendo assim, o turismo tende a crescer toda a vez que há essa aproximação. Nós vamos começar a servir esse mercado, que é um centro de distribuição para a América do Sul, vamos também para o Panamá, que será outro centro de distribuição para a América Latina e América do Norte, e, quanto ao Brasil, eu diria que era o que faltava. Nós estávamos presentes do Sul até o Nordeste, e agora, na região Norte também”, comentou. O presidente ainda garantiu a continuidade da tendência de crescimento, aumentando não somente em destinos, mas em frequências para outros destinos europeus. “A empresa deu um grande salto. São 8% a mais de oferta que nós abrimos para esse ano. Já no ano passado, a receita ultrapassou os US$ 3 bilhões, o que era realmente uma meta, um objetivo a ser alcançado e nós alcançamos. Agora, com esse crescimento em oferta, devemos dar mais um salto em receita, mas com o correspondente resultado, o que é o mais importante”, explicou.


Bolsa de Turismo de Lisboa

 

O principal objetivo de participação da TAP na BTL é levar adiante o conceito de hub, de centro de distribuição, que a companhia tem com Lisboa. “Lisboa é um centro de distribuição de tráfego para nós. Estamos conversando com operadores para usarem o destino como centro de distribuição, vendendo negócios do Brasil para Portugal, e vice-versa, sempre passando por Lisboa, e a mesma coisa acontecendo de África com Europa. Hoje eu diria que a feira está tendo um sucesso bastante grande e a expecrativa, as perspectivas são muito boas”, finalizou.

 

 

Priscila Ferraz de Mello

Deixe uma resposta