Tivoli Ecoresort celebra 35 anos de operações

O hotel se desenvolveu com a proposta de promover o ecoturismo sustentável na região

Tivoli Ecoresort Praia do Forte
Tivoli Ecoresort Praia do Forte, na Bahia

Neste mês, o Tivoli Ecoresort Praia do Forte, na Bahia, celebra 35 anos de atividades. O estabelecimento comemora a data com o compartilhamento de um vídeo incluindo o depoimento de colaboradores. Veja no player abaixo.

“Ninguém faz anos numa atividade de serviços como a hotelaria se você não tiver uma identidade própria. As pessoas olham pra nós como um modelo a ser seguido, exatamente porque tivemos a capacidade de acompanhar a evolução dos tempos, sem perder os tais valores que nos trouxeram até aqui”, aponta João Eça Pinheiro, diretor Geral do Tivoli Ecoresort Praia do Forte.

O hotel se desenvolveu com a proposta de promover o ecoturismo sustentável na região. Quando foi construído, a Praia do Forte era uma pequena vila de pescadores com muita beleza natural e alguns obstáculos para o desenvolvimento turístico.

“Depois de todos esses anos, hoje o hotel é altamente eficiente, com uma equipe muito treinada e motivada num padrão de serviço elevado, um fenômeno de arquitetura sustentável no Brasil e um projeto de enorme sucesso”, afirma João.

Para preservar a mata nativa e as praias, foram estabelecidas regras para a ocupação do solo, com apoio das autoridades locais. Um dos grandes diferenciais do hotel é a área preservada com 20% dos 300 mil metros quadrados de área, mantendo a vegetação típica que faz da Praia do Forte um santuário ecológico.

“Ao se hospedar no Tivoli Ecoresort Praia do Forte, os nossos clientes sabem que fazem parte de um empreendimento que foi o fio condutor do desenvolvimento social e econômico de toda a região”, ressalta João Eça Pinheiro.

Foi determinado que os prédios não poderiam ter mais de 10 metros de altura, para cada coqueiro derrubado devem ser plantadas três árvores nativas, os terrenos das casas dos pescadores foram cedidos em comodato, com a cláusula de que os imóveis não poderiam ser vendidos. Isso garantiu a preservação da cultura regional e a participação da comunidade nativa no polo de turismo criado com a inauguração do hotel.

Como uma das políticas de incentivo para o desenvolvimento local, o hotel estabelece como percentual mínimo a contratação de pelo menos 70% de mão-de-obra de moradores da região. Com emprego ou alguma fonte de renda relacionada ao turismo, a população da Praia do Forte ostenta hoje um nível de qualidade de vida inimaginável há 30 anos: mais de 80% das famílias dispõe de casa própria e energia elétrica, fogão a gás e outras comodidades.

Todo hóspede é convidado a contribuir com um consumo sustentável dos recursos naturais como água, sinalizando quando queira trocar a toalha; o óleo usado nas cozinhas é enviado para uma usina de produção de biocombustível.


Deixe uma resposta