Troca de comando não vai alterar modelo da GOL

Por: Antonio Euryco

O foco da empresa aérea deverá continuar voltado ao modelo de baixo custo que inspirou sua trajetória desde o início.  O comentário foi feito por Constantino de Oliveira Junior em teleconferênca com analistas, dizendo sobre a mudança de comando anunciada ontem, quando ficou definido que Paulo Kakinoff vai ocupar seu lugar na presidência e ele passará para o Conselho de Administração com um papel institucional mais estratégico.

 

“Apesar de 60% dos passageiros  serem de viagens a negócios, a GOL vai continuar com o modelo de baixo custo”, afirmou o executivo, reiterando ainda que não está se aposentando, e vai dividir sua experiência de 12 anos na direção da GOL com o novo presidente.

 

Ainda de acordo com Constantino, que é o maior acionista individual da GOL, com 18% do capital total e 25% do votante,  Kakinoff é a pessoa certa e durante dois anos como conselheiro  “conheceu os desafios da companhia”.  Kakinoff era uma aposta de boa parte do setor automotivo para, um dia, virar presidente do grupo Volkswagen no Brasil. “Sua competência em termo de gestão é reconhecida”, disse o ainda presidente da companhia.

 

Maior agilidade é um tema que esteve presente nas entrevistas dadas por Constantino para falar do sucessor que deverá assumir na primeira semana de julho (dia 2).  A direção do grupo (GOL e Webjet), considera que as ações de redução de custo fixo necessárias para adequar sua nova realidade durante os próximos meses já foram tomadas.

 

A renúncia da presidência-executiva foi um movimento para agregar valor à companhia, o que abre espaço para uma possível maior participação da Delta Air Line, segundo fontes.  O novo esquema significaria uma composição neste estilo, como acontece na companhia americana, com um presidente executivo e um do conselho administrativo atuando juntos.

 

AE

Deixe uma resposta