Turismo da fé: conheça as novas conexões aéreas para Aparecida

Recordista em visitação, o Santuário de Nossa Senhora da Aparecida (SP) conta agora com um incremento em mobilidade e opções de pacote para imersão turística

Padre Antônio Maria com representantes da Turismo da Fé e Senator e autoridades municipais. Foto: reprodução

Anualmente, milhões de fiéis se deslocam ao Santuário de Nossa Senhora da Aparecida (SP) para agradecer, pedir e pagar promessas. Em 2017, esse número chegou a 13 milhões, com pico de 177 mil visitantes no dia 12 de outu­bro, data em que a santa é celebrada. O turismo religioso é a vertente que não só estimula o contato espiritual, mas também o consumo de bens e serviços de toda a cadeia turística.

Segundo dados do Ministério do Turismo de 2019, o nicho movi­menta R$ 15 bilhões anualmente. Diante desta oportunidade, desde 26 de julho, a Turismo da Fé e a Senator Tour Operator se aliaram para operar voos exclusivos para até 47 pessoas que desejam co­nhecer o Santuário da padroeira do Brasil. As conexões são feitas a bordo da aeronave ATR-42-500, pela Omni Aviation, com destino ao Aeroporto Internacional de São José dos Campos, no Vale do Pa­raíba (SP), localizado a 80 quilôme­tros do atrativo.

A oferta que interliga terminais de pequeno a grande porte, conta com pelo menos dois voos semanais e fle­xibilidade à demanda, podendo ter a bordo passageiros de uma ou mais agência e operadoras. Atualmente os voos de ida e volta estão disponíveis a partir do Rio de Janeiro (RJ); Brasí­lia (DF); Pampulha (MG); Toledo (PR); Maringá (PR) e Vitória (ES).

“Além dos aeroportos das capi­tais, estamos em contato com ou­tros terminais descentralizados e que estão em processo de privatiza­ção, como o de Colatina, no Espírito Santo, que está quase pronto para operar. Queremos eliminar a neces­sidade de o turista sair de sua cidade para ir à capital pegar o voo, gerando assim, mais capilaridade. O desafio agora é vender Aparecida para quem não conhece”, enfatiza Edvaldo Ro­drigues, diretor Comercial da opera­dora Turismo da Fé.

Impedidos de fornecer alimentos e bebidas por conta dos protocolos de biossegurança no combate à co­vid-19, a Turismo da Fé enxergou nos amenities uma forma de se dife­renciar e melhorar a experiência do usuário. “No avião, podemos fazer discursos personalizados, conforme solicitação. Já nas nossas necessai­res, disponibilizamos um terço, um frasco com água para ser benzida no Santuário e um mapa criado pela Turismo da Fé e reconhecido pela Basílica de Nossa Senhora da Apa­recida”, declara Carlos Henrique De­zen, diretor-geral da Senator.

CONEXÃO EXCLUSIVA

A união das operadoras visa com­partilhar o conhecimento de ambas, sendo a Turismo da Fé uma expert no destino Aparecida e a Senator conhecedora do Turismo religioso internacional. Os pacotes disponibi­lizados variam entre duas a quatro noites, com meia-pensão, transpor­te de chegada e saída, além de in­gressos para as atrações no Santuá­rio e um guia turístico que promove a contextualização histórica.

“No momento, estamos focados em divulgar e vender Aparecida, no entanto, também realizamos pes­quisas para expandir as rotas e des­tinos atendidos. Há, inclusive, um trabalho em parceria com Rio Gran­de do Norte sendo estruturado”, explica Edvaldo Rodrigues, diretor Comercial da Turismo da Fé, refor­çando que a parceria mira também o mercado internacional. “Quando as fronteiras reabrirem, almejamos promover um roteiro integrado em conjunto com a Associação do Co­mércio, Indústria e Serviços do Con­selho de Ourém, conectando Fátima em Portugal, o Santuário e Nossa Se­nhora da Aparecida e o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará, além de possivelmente in­cluir o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, no Rio de Janeiro”, com­pleta com­pleta Rodrigues.

Na hora de estruturar os pacotes, a infraestrutura e os produtos tu­rísticos são pontos decisivos. Já no quesito mão de obra, os executivos ressaltam que vêm estimulando a capacitação dos profissionais para melhorar a qualidade do atendi­mento, disponibilizando guias com fluência em outros idiomas e incor­porando diferentes públicos.

“Quanto maior a devoção, maior a probabilidade do deslocamento e aumento no fluxo de pessoas para aquele destino. No entanto, que­remos que o turista desfrute da in­fraestrutura onde ficará hospedado, bem como em atrativos ao redor”, ressalta Dezen. O romeiro que vai a Aparecida, por exemplo, pode des­frutar da visitação à Cúpula Central, ao Museu de Cera, aprender sobre a história da Basílica ou fazer o pas­seio de bondinho que sai do Santuá­rio em direção ao Morro do Cruzeiro.

Outra opção é fazer a pé o Cami­nho do Rosário, um trajeto de 1,4 mil metros e, no retorno, embarcar na locomotiva que é uma réplica de uma Maria Fumaça. O trajeto faz li­gação do Santuário com o Porto Ita­guaçu, onde há um passeio de balsa pelo rio Itaguaçu onde foi encontra­da a primeira estátua de Nossa Se­nhora da Aparecida.

Para os viajantes com um pouco mais de tempo livre, durante a se­mana é possível assistir ao pôr do sol a partir do mirante da basílica, enquanto escuta um repertório líri­co ao vivo. “Exclusividade é o nosso diferencial e é algo que não se en­contra pela internet. Temos um pú­blico não só católico, mas também interessado em arte e arquitetura, por isso a contextualização do guia de turismo é tão importante. Temos de trabalhar muito bem o tempo para que todos tenham uma ótima experiência, enquanto auxiliamos tanto o destino como o entorno a se desenvolver”, destaca Dezen.

FORA DA CURVA

Dentre as demandas mais no­táveis, segundo a Senator e a Tu­rismo da Fé, está a composição de um roteiro que combina Aparecida com Campos do Jordão, direciona­do principalmente ao público do Norte e Nordeste do País. “Estamos localizados dentro da Região Turís­tica da Fé, que é composta tam­bém por Cachoeira Paulista, Canas, Cunha, Guaratinguetá, Lorena, Pi­quete e Potim. Muitos desses desti­nos têm atrativos turísticos religio­sos, como o Santuário Frei Galvão, em Guaratinguetá; Canção Nova, em Cachoeira Paulista; e o Memo­rial Padre Leo, em Lorena. É muito comum ver o cliente pedindo para incluir regiões vizinhas a Apare­cida, principalmente Campos do Jordão”, sinaliza Rodrigues.

Até o final deste ano, a Basílica de Nossa Senhora da Aparecida inaugurará o primeiro mosaico a céu aberto com passagens da Bí­blia. Trata-se da nave norte, que retratará o livro Êxodo. O santuário terá o livro Gênesis, na ala oeste; a Páscoa de Cristo, na parte sul; e o livro do Apocalipse, na fachada leste. O projeto é autoria do Pa­dre Rupnik, de Roma (Itália) e será mais um chamariz de turistas para o destino.

“A hotelaria está vendo o poten­cial do turismo religioso e por isso, em setembro será inaugurado mais um hotel na região, aumentando o potencial de captação de visitantes. É interessante notar que, aos fins de semana, o MC Donald’s de Aparecida é o detentor da maior emissão de tí­quetes por hora. Já o Bob’s, durante a inauguração na Galeria Recreio, em 2019, ficou em terceiro lugar em vedas no País. Esse é nosso desejo: Queremos que o turista vivencie o melhor do destino e que, ao consu­mir, contribua para o desenvolvi­mento local”, finaliza Dezen.

Deixe uma resposta