Turismo receptivo será tema de debate na Câmara

Por: Rafael Lima

A convite da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Flávio Dino, participa  hoje, dia 18, de audiência pública para debater os serviços turísticos do Brasil durante a Copa das Confederações 2013. Marcada para começar às 15h, a audiência será no Plenário 5 do Anexo II da Câmara dos Deputados, em Brasília.

Para Dino, é fundamental o acompanhamento constante da Comissão de Turismo e Desporto antes, durante e depois da realização dos grandes eventos que o Brasil irá sediar. “É necessário que debates sejam realizados para que a atuação do setor turístico brasileiro passe por adequações necessárias, com o objetivo de contribuir para a construção da imagem do País no mercado internacional, bem como para melhor receber os visitantes estrangeiros”.

O presidente também ressaltou que a audiência pública será uma boa oportunidade para debater a competitividade no mercado turístico do Brasil. “Queremos que os grandes eventos sirvam de trampolim para elevar o número de turistas e o ingresso de divisas no país, mas para isso, o Brasil precisa ser cada vez mais competitivo”, finalizou.

 

Impacto da Copa das Confederações

Um estudo da Embratur mostrou que turismo teve impacto bem maior que previsto inicialmente sobre economia brasileira durante a Copa das Confederações. Foram R$ 740 milhões a mais movimentados por toda a cadeia – que inclui hotéis, alimentação fora do lar, entre outros. Os gastos de turistas – brasileiros e estrangeiros – foi estimado pela Embratur em R$ 321,79 milhões, enquanto a FIFA estimou o gastos de suas seleções e delegações em R$ 70 milhões. O efeito indireto na economia foi de R$ 348,69 milhões, também segundo estimativas da Embratur.

No quesito visibilidade, a final da Copa das Confederações 2013 bateu o recorde de público televisivo da competição, segundo dados divulgados pela FIFA. A partida final do campeonato, entre as seleções de Brasil e Espanha foi vista por 69,3 milhões de pessoas nos 10 principais mercados televisivos do mundo – como Alemanha, China, França e Estados Unidos, entre outros.

 

 

RL

 

Deixe uma resposta