Vinci Airports planeja transformar aeroportos em estruturas ecoeficientes

Além de assegurar a operação dos sete terminais e pistas na região Norte, a Vinci informou que pretende transformar esses aeroportos em estruturas ecoeficientes

vinci airports

A Vinci Airports conquistou hoje a concessão, por 30 anos, de sete aeroportos da região Norte do Brasil, com lance vencedor de R$ 420 milhões. Os terminais de Manaus, Tabatinga e Tefé (AM), Porto Velho (RO), Rio Branco e Boa Vista (RR) serão administrados pela operadora que administra 52 aeroportos em 12 países da Europa, Ásia e Américas.

Porta de entrada para a região amazônica e estados brasileiros vizinhos, os aeroportos receberam 4,7 milhões de passageiros em 2019. Eles são essenciais para a abertura de uma região de 3,8 milhões de km². Além de assegurar a operação, manutenção e modernização dos terminais e pistas, a Vinci informou que pretende transformar esses aeroportos em infraestruturas ecoeficientes. “Nosso roteiro é claro: aeroportos verdes para o crescimento verde”, declarou Nicolas Notebaert, CEO da Vinci Concessions e presidente da Vinci Airports.

As metas incluem zerar as emissões líquidas, instalar fazendas fotovoltaicas, implantar laboratórios de diversidade e fazer a gestão de água e resíduos sólidos, além de criar projetos para redução da pegada de carbono em parceria com ONGs locais. A estratégia é seguir a política ambiental bem-sucedida que vem implementando no Salvador Bahia Airport, desde 2018.  

A empresa também pretende apoiar a recuperação da economia brasileira no pós-pandemia, desenvolvendo o tráfego de passageiros e as atividades cargueiras no Aeroporto Internacional de Manaus, terceiro maior terminal aeroportuário de cargas do Brasil. “Nessa região, onde o transporte aéreo é essencial, a Vinci Airports tornará os aeroportos mais resilientes e   ecoeficientes, a fim de sustentar a recuperação econômica no Brasil, enquanto preserva o planeta”, completou Notebaert. 

Deixe uma resposta