Visit Florida tem orçamento menor mas não cortará ações em 2019

O corte promovido pelo congresso americano vai no sentido contrário ao sucesso da Flórida quanto ao turismo, que registrou recorde de visitas em 2018

0
Gerardo Llanes, CMO do Visit Florida, esteve em sua primeira IPW durante o evento de Anaheim neste ano
Gerardo Llanes, CMO do Visit Florida, esteve em sua primeira IPW durante o evento de Anaheim neste ano

O Visit Florida não deixará de lado suas ações nos principais mercados. A agência, recentemente, teve um orçamento de US$ 50 milhões aprovado pelo congresso americano, abaixo dos US$ 75 milhões pedido pelo estado. Contudo, nada que deva afetar a divulgação.

“O Brasil e nenhum de nossos principais mercados serão afetados com a redução. Atuaremos apenas na redução de algumas ações pontuais que não deram o resultado esperado”, disse Gerardo Llanes, CMO do Visit Florida desde 14 de maio, categoricamente.

O corte promovido pelo congresso americano, aprovando a verba de US$ 50 milhões para até julho de 2020, vai no sentido contrário ao sucesso da Flórida no turismo. Em 2018, o estado recepcionou 126,1 milhões de viajantes (88,6% domésticos), um recorde que representa um acréscimo de 6% em relação a 2017.

O número de visitantes internacionais, provenientes em sua maioria de viajantes do Canadá, Reino Unido, França e Brasil, caiu em 1%, contudo, manteve a marca de 10,8 milhões de pessoas, de acordo com dados do Visit Florida divulgados em fevereiro.

Gerardo Llanes, com passagem de cinco anos pelo antigo Conselho de Promoção Turístico do México (CPTM), descartou haver grandes dificuldades provenientes do corte de verba e elencou que uma das principais ações para este ano, deverá ser a criação de roteiros curtos para quem visita as principais cidades da Flórida passarem em outros destinos.

“Claro que com menos verba temos de atuar de maneira mais eficiente, mas estamos atuando na elaboração roteiros de três, cinco e sete dias para o viajante que vai a Orlando ou Miami possa passar por outros lugares da Flórida, além de manter as capacitações ativas”, afirmou.

“O mercado brasileiro exige ainda mais presença da Flórida e continuaremos sempre atuando próximo dos agentes de viagens e operadoras locais. É como diz o ditado ‘quem não é visto não é lembrado’, por isso, nossa presença é de grande importância”, concluiu Llanes.


Leia Também:

Luis Pereira: “Brasil é o segundo principal mercado de Portugal”
Kayak Encontros promete facilitar encontro entre pessoas que moram longe
Rio Grande do Norte recebe primeiro evento itinerante do Investe Turismo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here