Washington DC quer mais turistas brasileiros

Por: Carolina Maia

Em missão comercial pelo Brasil, delegação vinda de Washington DC promove o destino em São Paulo, com o intuito de estreitar os laços e assim aumentar o número de turistas brasileiros na capital norte americana e também gerar negócios com operadores brasileiros, com foco, principalmente, nas viagens corporativas. Acompanhado de parceiros comerciais – empresários do mercado de turismo -, o presidente e CEO do Destination DC, Elliott Ferguson liderou a visita que teve início nesta segunda-feira, dia 9, e que na noite de hoje recebe operadores e outros convidados em um coquetel de confraternização no Bar Baretto, no Hotel Fasano.

O executivo também aproveitou a visita e concedeu, nesta tarde, uma entrevista exclusiva ao Brasilturis Jornal onde detalhou tudo que o destino tem a oferecer, além de novidades, como novos hotéis, espaço de eventos e restaurantes. “O Brasil está definitivamente no nosso top 5 dos mercados que mais rapidamente crescem na emissão de turistas, atrás apenas da China e na frente da Índia. É um mercado estratégico e com boas conexões para os Estados Unidos e há muitas oportunidades de crescimento e negócios. Vamos investir muito em campanhas promocionais, esperamos aumentar o número de visitantes brasileiros neste ano. E queremos também conseguir ampliar as ligações entre Brasil e Estados Unidos e assim ter mais voos para Washington”, disse Ferguson.

Em 2011, a região da capital dos Estados Unidos, Washington DC, Maryland e Virginia recebeu recorde de visitantes brasileiros, chegando a marca dos 116 mil turistas. As chegadas tiveram um incremento de 37 mil em 2011, 47% a mais em relação a 2010. Nesta mesma análise foi apontado que os brasileiros gastaram cerca de US$ 145 milhões na região, US$ 65 milhões a mais que em 2010. “O Brasil é o quarto maior mercado de visitantes estrangeiros tanto nos Estados Unidos quanto na região da capital”, comentou o executivo, que ressaltou que 70% dos visitantes brasileiros viajam a lazer para a cidade, contra 30% a negócios.

Além de ser um destino turístico, que segundo Ferguson vai muito além da política e da Casa Branca como a capital norte-americana é popularmente conhecida, Washington DC também quer promover o segmento MICE já que está apta para receber desde pequenas a grandes convenções e eventos. “Compras são uma boa opção para quem nos visita, há uma grande variedade. Outro ponto positivo é o fato de estarmos próximos de outros destinos, dando assim para criar roteiros e experiências únicas. Somos os segundo destino com mais teatros, atrás apenas de Nova York. Temos 16 museus gratuitos. Há cerca de 2 mil restaurantes de diferentes culinárias e para diferentes bolsos. Só este ano foram abertos 30 novos”, relatou o CEO do órgão de turismo do destino.

 

Novidades

De acordo com Ferguson, Washington DC é uma cidade compacta, cercada por dois rios, e ótima para a prática de atividades físicas ao ar livre. “Temos uma vida noturna agitada e diversificada também. Costumo dizer que não tem nada que não se possa fazer em outra cidade que não se faça em Washington. Ok, exceto praia e parques temáticos”, brincou.

Nos últimos anos o destino teve um grande aumento na oferta hoteleira, incluindo hotéis restaurados. E novos empreendimentos estão previstos. “Atualmente são mais de 29 mil quartos, de diferentes tipos, de albergue a 5 estrelas”, relatou. Ainda este ano está programada a abertura de um ambicioso empreendimento no centro da cidade, com diversas utilidades em uma área de mais de 230 mil m². O CityCenterDC será um condomínio de alto padrão onde haverá uma combinação de apartamentos residenciais, escritórios, lojas, restaurantes, espaços públicos e um hotel.

“No próximo ano está prevista, para maio, a inauguração do hotel Washington Marriott Marquis, no coração da cidade. Foi projetado para ser um novo centro social da capital. Com 1.175 quartos, 49 suítes. Serão 9 mil m² de espaço de eventos com 55 salas de apoio, lojas e restaurantes. E o hotel irá se conectar através do subterrâneo ao Centro de Convenções Walter E. Washington”, contou Ferguson.

Recentemente o empresário Donald Trump fechou um acordo de US$ 200 milhões pela locação do antigo prédio do Correio americano pelos próximos 60 anos. O edifício tem 114 anos e a abertura está prevista para 2016, oferecendo uma série de serviços, incluindo restaurantes, espaço de eventos, hotel e spa.

Segundo o presidente e CEO do Destination DC, a ideia da missão comercial é expandir o interesse do brasileiro com relação a capital norte-americana. “Por isso estamos em contato com as operadoras e receptivos. Washington é um destino diversificado e repleto de atrações e atividades, e é isso que queremos mostrar. E com isso também expandir as experiências de quem pensa numa viagem aos Estados Unidos”, concluiu Elliott Ferguson.

Carolina Maia

Deixe uma resposta