World Packers vence Desafio Brasileiro de Inovação

World Packers

World Packers foi a grande campeã do primeiro Desafio Brasileiro de Inovação, ação promovida pela Ministério do Turismo em parceria com o Wakalua Innovation Hub, com apoio da Organização Mundial do Turismo, e parceria da Abav Nacional com anúncio dos vencedores ao vivo na programação do Abav Collab. Ricardo Lima, representante da startup brasileira, comemorou a conquista e irá representar o Brasil na final mundial, em Madri (Espanha), e acompanhará um programa de treinamento na Fitur 2021.

A proposta da World Packers é conectar viajantes de todo o mundo com anfitriões que trocam hospedagem e alimentação por até 24 horas semanais de serviços voluntários. Os 2 milhões de viajantes cadastrados atualmente podem escolher um dos três planos disponíveis – com valores que variam de US$ 40 a US$ 100 – e se candidatar para as vagas de voluntariado disponíveis.

Lima explica que a ideia surgiu quando ele abandonou o trabalho em um banco para viajar o mundo em busca de experiências transformadoras. “Passei quatro anos conhecendo diversos países e acredito que viajar é um direito universal. As pessoas que viajam são impactadas por experiências e pelo convívio com outras pessoas e culturas. São elas que transformam o mundo”, opinou. A plataforma colaborativa, 100% brasileira, já é a número 1 na América Latina, tem penetração em 170 países do globo e 7 mil anfitriões cadastrados.

O segundo lugar ficou com a Vivakey, startup que uniu hardware, software e serviços em uma só plataforma, voltada aos pequenos empreendimentos hoteleiros. Um dos destaques é uma fechadura sustentável que dispensa uso de chaves e foi desenvolvida com base no conceito de IoT, com reconhecimento facial e configuração de senha.

Já a paranaense Eion conquistou a terceira colocação com o Buggy Power, primeiro veículo elétrico desse tipo no mundo e que, além de zerar as emissões de carbono, não produz ruído, acomoda confortavelmente cinco passageiros e pode rodar até 200 quilômetros por dia. A proposta é vender a franquia de mobilidade sustentável para operação em destinos de natureza.

O vencedor parabenizou os outros dez finalistas pela persistência e defendeu que “empreender em Turismo ainda é muito difícil no Brasil”. A proposta do Wakalua, entidade fundada em 2018, é exatamente ampliar e apoiar o desenvolvimento de soluções de combinam inovação e sustentabilidade em todo o globo. Em dois anos de criação, a organização atua com 5 mil startups em 150 países.

No Brasil, a competição foi lançada em julho deste ano e recebeu 790 projetos de 24 estados e do Distrito Federal. A final foi precedida por duas etapas de seleção e o júri que deu à World Packers o título foi formado por nomes conhecidos do trade, como Alexandre Sampaio (FBHA), Monica Samia (Braztoa), Daniel Nepomuceno (Mtur), Leonel Andrade (CVC) e Magda Nassar (Abav Nacional), entre outros.

O evento teve a participação de Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo; Lisandro Menu-Marque, diretor da Globalia/Wakalua; Eduardo Lorea, diretor do Wakalua Brasil e Natalia Bayona, diretora de Inovação, Transformação Digital e Investimentos da Organização Mundial do Turismo.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta