WTTC estima a perda de 75 milhões de empregos devido Covid-19

De acordo com análises do WTTC, a Alemanha é o país que apresenta maior impacto, com 1,6 milhão de empregos em risco, seguido por Rússia, Itália e Reino Unido

covid-19

De acordo com dados da WTTC, houve uma perda do PIB de viagens e Turismo para economia mundial de até US$ 2,1 trilhões em 2020. A projeção mais recente de um aumento de 50% nos empregos em risco em menos de duas semana demonstra uma tendência preocupante, com 1 milhão de empregos sendo perdidos todos os dias no setor de viagens e turismo, devido ao Covid-19. O mercado contribui com 10,4% do PIB global e é responsável por um em cada dez empregos no mundo, registrando crescimento acima da economia global por oito anos seguidos.

A análise mostra também a profundidade da crise para regiões individuais. Espera-se que o Pacífico Asiático seja o mais impactado, com até 49 milhões de empregos em risco em toda a região, representando uma perda de quase US$ 800 bilhões para o PIB do setor. Os número estimam, também, que na Europa até 10 milhões de empregos estão em risco, totalizando uma perda de quase US$ 552 bilhões.

A Alemanha é visto como o país que mais vai ser afetado da Europa, com quase 1,6 milhão de empregos em risco, seguido pela Rússia, com 1,1 milhão estimados. A Itália e o Reino Unido seguem como o terceiro mais impactado, com os dois países projetados para perder até 1 milhão de empregos no setor de viagens e turismo.

Nas Américas, acredita-se que Estados Unidos, Canadá e México perderão até US$ 570 bilhões combinados, com quase 7 milhões de empregos em risco. Demais países, como Brasil, Reino Unido, Itália, Alemanha, França, Japão, Indonésia e índia também sejam afetados por essa crise.

A região que sofreu menos impacto prejudicial é o Oriente Médio, que, no entanto, ainda enfrenta perdas de emprego de 1,8 milhão e uma perda de US$ 65 bilhões para a economia regional.

“O número de empregos atualmente em risco no setor global de viagens e turismo é de 75 milhões, trazendo preocupação real e profunda a milhões de famílias em todo o mundo. “Essa nova figura assustadora também representa o atraso coletivo de muitos governos ao redor do mundo em reagir com rapidez suficiente para ajudar um setor que é a espinha dorsal da economia global”, afirmou Gloria Guevara, presidente e CEO do WTTC.

Ainda de acordo com a executiva, o setor enfrenta um colapso, que resultará em um enorme impacto negativo sobre as principais empresas do setor em todo o mundo, como efeito dominó, também trazendo impactos em toda a cadeia de suprimentos, atingindo funcionários e trabalhadores autônomos.

“Apelamos a todos os que estão em posições de poder para ajudar os impotentes e promulgar políticas para apoiar e sustentar um setor que é uma força motriz da economia global e responsável por gerar um em cada cinco de todos os novos empregos”, complementa a presidente do WTTC.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui