Belo Horizonte: o ‘beagá’ das cores, cheiros, sabores e prêmios

Reconhecida como uma das melhores do mundo, Belo Horizonte é premiada como a cidade da Gastronomia Criativa pela Unesco

Belo Horizonte
(Fotos: Diego Siliprando/Brasilturis Jornal)

Inaugurada como Cidade de Minas, em 1897, o chamado Arraial de Belo Horizonte passou a ser o nome da cidade que logo mais se tornaria a capital mineira, conhecida pelas cores, cheiros e sabores, que tem motivos suficientes para se orgulhar. Em 2019 o destino recebeu o título de Cidade Criativa da Gastronomia pela Unesco que até então três outras cidades brasileiras detinham: Florianópolis (SC), Paraty (RJ) e Belém (PA).

O reconhecimento é fruto de um esforço coletivo de toda uma cadeia gastronômica que faz parte da essência mineira e os títulos não param por aqui. Em novembro de 2021, mês que Belo Horizonte completou 124 anos, o Atlético Mineiro, conhecido como Galo, ganhou o Campeonato Brasileiro depois de 50 anos. Se existe um lugar com tradição, inovação gastronômica e muito orgulho, ele se chama “beagá”.

Confira alguns dos principais locais que destacamos nessa experiência que o Brasilturis Jornal teve o prazer de degustar.

Mercado central

Fundado na década de 1920 por iniciativa do governo municipal o espaço reunia as principais feiras de rua da época. Mais tarde a prefeitura deixou de assumir os altos custos do local, o que mobilizou os comerciantes em uma cooperativa resultando na compra do terreno, o dividindo em pequenos lotes. O mercado hoje é um dos pontos turísticos mais tradicionais e visitados por turistas e moradores que fazem compras dos mais variados produtos.

Queijos à francé

Também em 2019, Minas abocanhou nada menos que 57 medalhas no Mondial du Fromage et des Produits Laitiers de Tours, o maior evento de produtos lácteos francês, sendo seis delas a Super Ouro, categoria máxima do concurso que premia produtores de queijo do mundo inteiro.
E por falar em um bom queijo mineiro, é imprescindível dar uma parada na Roça Capital, no mercadão. A loja oferece os mais variados tipos de queijos desde os mais simples até os premiados e requintados.

Festival di Buteco


O famoso festival Comida di Buteco começou em Belo Horizonte e, hoje, tem edições em vários estados brasileiros. As disputas são acirradas. Inicialmente, eram avaliados apenas os pratos como forma de eleger o melhor boteco. Depois, decidiram incluir o quesito “limpeza dos banheiros” o que levou os usuários a loucura, principalmente as mulheres, que sofriam com as péssimas condições de higiene.

E por falar em mulheres, temos uma protagonista nessa história: Eliza Fonseca, foi a primeira mulher a assumir um bar no Mercado Central, chamado de Bar da Lora, desenvolvendo os pratos típicos e tradicionais do cardápio de boteco. Em seguida, o local ingressou nos concursos de botecos, conquistando em 2010 o 1º lugar do festival Comida di Buteco, com o tira-gosto “Pura Garra da Lora” o que gerou fama e reconhecimento.

Bar da Lora, o mais tradicional bar de Belo Horizonte

Mercado Novo

O Mercado Novo surge como um contraponto ao Mercado Central, oferecendo uma vida noturna rica em entretenimento, gastronomia e serviços diversos, atraindo um público mais jovem e alternativo. Nesse novo “velho” espaço existe uma comissão comercial que avalia se o empreendimento é adequado para o espaço, gerando assim um lugar bem peculiar com lojas praticamente exclusivas.

Cachaça e cerveja não podem faltar

Estar em Belo Horizonte e não degustar uma boa cachaça ou cerveja artesanal é ter uma experiência pela metade. No Mercado Novo é possível degustar a boa e velha companheira de mesa, com os seus mais diversos tipos e sabores, com produção regional.

No Bar Odeon são oferecidas mais de 14 tipos cervejas, produzidas pelas empresas São Sebastião e Mills. A proposta do espaço, decorado como um boteco original de década de 1970, é proporcionar essa experiência aos apreciadores da bebida.

E se a purinha é boa para abrir o apetite, a Cachaçaria Lamparina tem o drinque perfeito, que complementa os petiscos e pratos variados da Rotisseria Central, próximo dali, cujo proprietário, Djalma Victor, participa do programa Top Chef Brasil, da TV Record. O restaurante é uma espécie de laboratório gastronômico, criando pratos inspirados na culinária da região com uso de ingredientes do comércio local.

Vida Boêmia e Cultural

O Bairro Floresta é um dos bairros boêmios da região leste de BH, onde se concentram os blocos durante o carnaval e eventos diversos na famosa Praça da Estação, que abriga o museu de Artes e Ofício.

Floresta é um nome bem sugestivo, mas engana pela aparência, pois, apesar de suas construções não serem modernas e com pouca arborização, seus frequentadores são bem elitizados.

Na região não faltam bares, com vista panorâmica do centro da cidade. Ao pôr-do-sol as pessoas se reúnem para beber, conversar ou protestar já que o point é comumente conhecido como local de grandes manifestações artísticas e culturais.

Querida Jacinta

A casa de fachada discreta funciona como bar, restaurante e como casa de shows com apresentações e música ao vivo. O ambiente é bem agradável e amplo, acessível a todos os públicos com cardápio variado e oferta vegana. Porém, o grande diferencial da casa é o chef Fagner Rodrigues, que além das suas muitas atividades como educador, ficou famoso pela participação no programa da GNT “Que seja doce”.

Boteco Patorroco

O Bar do Patorroco, bicampeão do Comida di Buteco, conhecido como o mais tradicional da cidade, teve o nome definido a partir de um bullying sofrido pelo dono que tinha rouquidão e que hoje, depois de uma cirurgia nas pregas vocais, se curou.

No bairro do Prado, o bar é o lugar para degustar a boa comida de boteco no “canto da paz” como define Marcos da Mata, proprietário e chef do local. O espaço não tem música ao vivo, televisores ou wi-fi, a ideia é que os clientes desfrutarem ao máximo da companhia de uns dos outros. O cardápio oferece comidas típica e autoral como o famoso “caviar da roça”, uma releitura mais leve e saborosa do tradicional chouriço mineiro.

Birosca S2

Um bistrô cheio de vida e mulheres no comando. Localizado no bairro de Santa Tereza, o bar tem uma pegada bem mineira, tanto na decoração que lembra muito a casa de vó, quanto nos pratos que são servidos. A proprietária Bruna Martins faz questão de ser “friendly”, dando apoio e visibilidade às mulheres que gerenciam o seu empreendimento.

A casa oferece ambientes variados, atendimento acolhedor com um menu diversificado e excelente carta de vinhos de produtores locais.

Xapuri Restaurante

Xapuri em Tupi Guarani significa: lugar calmo, tranquilo de águas claras e é exatamente assim o restaurante localizado entre os bairros Trevo e Braúna. O espaço é referência na gastronomia mineira nos quesitos qualidade e experiência. A construção é rústica e o fogão à lenha não se apaga há mais de 34 anos, pois, além de servir para cozinhar, defuma as linguiças que são produzidas e servidas no próprio restaurante.

“Tudo começou com a minha mãe cozinhando para os amigos e o curioso é que, quando decidimos profissionalizar, o primeiro cliente foi um jornalista que, depois de se encantar com a comida, decidiu publicar uma nota contando a sua experiência gastronômica com o título ‘Atrás da moita onde não se peca’. Sem dar muitas referências de onde era o lugar, gerou uma busca desenfreada pelo restaurante”, conta Flavio Trumbino, gerente do restaurante e filho da Dona Nelsa, fundadora.

Cantina Piacenza

Uma cantina tradicional e famosa que mistura a gastronomia italiana com a mineira no coração de Belo Horizonte. O chef e proprietário, Américo Piacenza, formado em Turismo, decidiu migrar para a gastronomia quando morou na França. Influenciado por suas viagens mundo a fora, decidiu compartilhar suas experiências gastronômicas em solo mineiro.

Com decoração mais industrial, atrelado a história familiar e assinada pelo arquiteto Pedro Moraes, o espaço foge dos estereótipos de casa ou fazenda, sendo acessível a todos os públicos.

Glouton

Sob o comando do renomado chef Leonardo Paixão, um dos jurados do programa “Mestre do Sabor” da TV Globo, o restaurante é um dois mais refinados de Belo Horizonte. Nele você encontra comida “fine dining”, ou seja, alta gastronomia com pratos autorais inspirados na cozinha mineira.

A louçaria foi pensada e criada pela ceramista Léa Diegues e o próprio chef para enriquecer a experiência sensorial de cada prato. O ambiente é acolhedor, com decoração sofisticada e o atendimento é exclusivo.

Cerâmica Santana

Em nossa próxima parada, Aglomerado da Serra, conhecemos os irmãos Alex e Maicon Santana, que tem uma empresa-projeto-escola de cerâmica no coração de uma comunidade instalada na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

A Cerâmica Santana fabrica peças para os comerciantes de bares e restaurantes regionais e, ainda, exporta para o exterior parte do material, que é produzido por seus alunos que são moradores locais, gerando conhecimento e fonte de renda. O projeto conta, ainda, com abertura de vagas para que pessoas de fora possam aprender a arte do manuseio e queima da argila.

Serviços

COMPRAS

Roça Capital
(31) 3789-8669
@rocacapital

Mercado Central
Av. Augusto de Lima, 744 – Centro
www.mercadocentral.com.br

Mercado Novo
Av. Olegário Maciel, 742 – Centro
@mercadonovobh

Cerâmica Santana
@ceramicasantana

ONDE COMER

Comercial sabia
@_sabia

Rotisseria Central
@rotisseriacentral

Panomara Pizzaria
R. Sapucaí, 533 – Floresta
@panoramapizzaria

Querida Jacinta
Rua Grão Pará, 185 Santa Efigênia
(31) 97116-2900
@queridajacinta

Bar Patorroco
R. Turquesa, 875 – Prado
(31) 3372-6293
@patorroco

Birosca S2
R. Silvianópolis, 483 – Santa Tereza
(31) 2551-8310
@biroscas2

Restaurante Xapuri
Rua Mandacarú, 260 – Trevo
(31) 3496-6198
@ xapurirestaurante

Cantina Piacenza
R. Rio Grande do Sul, 1236 – Santo Agostinho
(31) 2515-6092
@cantinapiacenza

Restaurante Glouton
Rua Bárbara Heliodora, 59, Lourdes
(31) 3292-4237
@gloutonbh

ONDE BEBER

Bar da Lora
@bardalora
Tradicional Limonada
(31) 98118-6380
@tradicionallimonada

Cervejaria Mills e Odeon
@cervejariasaosebasriao
@millsbrewery
@odeonbh

Cachaçaria Lamparina
@lamprina.cachacaria

PASSEIOS

Casa do Baile
Av. Otacílio Negrão de Lima,751
(31) 3277-7443
www.facebook.com/casadobaile.bh

Iate Tênis Clube
Av. Otacílio Negrão de Lima,1.350
(31) 3490-8400
www.iatebh.com.br

Igrejinha da Pampulha
Av. Otacílio Negrão de Lima,3.000
(31) 3465-6219
Entrada paga

Museu Casa Kubitschek
Av. Otacílio Negrão de Lima,4.188
(31) 3277-1586
www.facebook.com/CasaKubitschek

Museu de Arte da Pampulha
Av. Otacílio Negrão de Lima,16.585
(31) 3277-7996
www.facebook.com/map.fmc

Tirolesa no Mineirão
@lojanerea

Mineirão
@mineirao

ONDE SE HOSPEDAR

Novotel BH Savassi
Av. do Contorno, 6583 –
Savassi
(31) 3311-9400
@novotelbhsavassi

RECEPTIVO
Sette Turismo
@setteturismo


O Brasilturis Jornal viajou a convite da Belotur, com transporte executivo feito pela Sette Turismo.

Deixe uma resposta