KLM paga restante do empréstimo ao governo holandês

Em três etapas, o montante total já foi quitado

klm
Foto: Divulgação

A KLM pagará a última parcela de €277 milhões dos empréstimos garantidos pelo governo holandês e bancos no ano de 2020. A companhia tomou emprestado um total de €942 milhões de euros de uma linha de crédito de €3,4 bilhões. Este pagamento significa que, depois de dois anos, a empresa aérea já terá quitado todas as parcelas do pacote de empréstimos feitos para enfrentar a crise da Covid-19.

Vários fatores, incluindo o desligamento de seis mil funcionários, uma acentuada redução nos custos, a eliminação das restrições de viagem e o aumento na demanda por passagens aéreas tornou possível que a KLM realizasse os pagamentos antecipadamente para abater o valor total do empréstimo.

Em três etapas, o montante total já foi quitado. A cia aérea realizou um pagamento de €311 milhões para os bancos em 3 de maio e outro de €354 milhões em 3 de junho, pagando a soma de todos os empréstimos em bancos de €665 milhões. Com o pagamento do restante de €277 milhões, quitou a parte do empréstimo garantida pelo governo holandês.

A companhia é extremamente grata ao governo holandês e aos bancos pelo suporte durante a pandemia. Ao pagar os empréstimos o mais rápido possível, mostra que leva suas responsabilidades a sério, mantendo suas promessas aos stakeholders financeiros, ao governo e à sociedade.

Previsões

Apesar da recente recuperação da indústria aérea, o futuro próximo permanece incerto devido a uma série de fatores como altas taxas de inflação, aumento de custos, a presença constante da Covid-19 no mundo todo e volatilidades geopolíticas, como a guerra na Ucrânia. Como resultado, a KLM decidiu manter o acesso a uma possível linha de crédito no futuro. Após o pagamento do empréstimo, a aviação continuará tendo uma facilidade de crédito de €2,4 bilhões.

(€723 milhões garantidos pelo governo e €1.735 bilhões dos bancos) a sua disposição, fazendo uso das opções de financiamento existentes. Ao mesmo tempo, previsões atuais mostram que a companhia aérea possui recursos financeiros suficientes disponíveis para os próximos anos.

A companhia enfatizou a importância de manter um controle rígido sobre seus custos no próximo período para garantir a estabilidade financeira no futuro. A redução nos custos é uma das principais condições ligadas aos empréstimos do governo holandês. Estas condições permanecerão em vigor para todo o Grupo KLM até o momento em que o empréstimo e a garantia terminarem.


Leia também: Petrobras tem reajuste no QAV e alta no ano chega a 70,6%

Deixe uma resposta