Mais fortalecidos, destinos nacionais impulsionam a indústria do turismo

WTM Latin America - Simon Mayle
Simon Mayle, diretor da WTM Latin America (Foto -Divulgação/WTM Latin America)

Por Simon Mayle

É fato que o turismo doméstico puxou a retomada do setor. Essa constatação não vale só para o Brasil, já que a restrição nos deslocamentos limitou as opções dos viajantes por todo o globo.

Enquanto o novo coronavírus dava suas primeiras voltas pelo planeta, restou àqueles que não desistiram de viajar a opção de conhecer novos lugares ou redescobrir destinos dentro das fronteiras de seu país de moradia.

Impulsionado pelo segmento de lazer, os mercados domésticos cresceram e, no caso do Brasil, destacaram a abundância de opções nacionais em destinos com foco em sol e praia, ecoturismo, bem-estar e turismo rural.

Movimentos como o “staycation” e o “anywhere office” ajudaram a consolidar ofertas para esse público que optou por fugir da rotina dura do isolamento, o que consequentemente apoiou o crescimento das viagens de escapada.

O fato é que o crescimento nas viagens domésticas trouxe oportunidades aos destinos. E, neste sentido, estados e municípios desenvolveram novos produtos que tendem a ganhar ainda mais protagonismo no pós-pandemia. E, se viver novas experiências está no topo da lista dos viajantes, esse atributo também será uma constante na programação da WTM Latin America.

Neste ano, teremos destinos que nunca participaram do evento ou que estavam fora da nossa área de exposições há bastante tempo, o que consolida esse grande movimento de retomada: Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Belo Horizonte, a cidade do Rio de Janeiro, Porto Seguro (BA), Parauapebas (PA), Goiás e Blumenau (SC), estão na lista junto a expositores tradicionais, como São Paulo, Ilhabela (SP), Alagoas, Ceará, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, entre outros.

Para citar alguns destes destinos de forma prática, a cidade de Blumenau, por exemplo, participou de edições anteriores como co-expositora no estande da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) e estreia neste ano com espaço próprio para divulgar suas atrações. Ainda em território catarinense, Balneário Camboriú apresenta o mesmo cenário. Co-expositor em edições passadas, o destino participa pela primeira vez com estande próprio.

A campanha Bora pra Goiás/Lets Goiás é o mote da participação do estado do centro-oeste brasileiro que também estreia a participação com estande próprio neste ano.

Já a cidade do Rio de Janeiro investe em uma experiência imersiva em um estande moderno e inovador. O espaço criado pela Prefeitura do Rio, por meio da Riotur, terá projetores 360o, trazendo uma mistura de imagens espetaculares e sons que prometem transportar o visitante à Cidade Maravilhosa.

Em Minas Gerais, prioridade e protagonismo são palavras de ordem em um ano que vem sendo chamado de ‘ano da mineiridade’ e que conta com dupla celebração: o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, e o bicentenário da Independência do Brasil.

Tudo isso, ao fim e ao cabo, trata-se do fortalecimento do turismo doméstico, que motiva a estreia de cidades e estados que veem o evento como fundamental para apoiar as ações rumo à retomada plena.

Simon Mayle é diretor da WTM Latin America, que será realizada entre 5 e 7 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo

Deixe uma resposta