Viagens internacionais impulsionam a recuperação do tráfego aéreo em maio

A recuperação das viagens aéreas acelerou, enquanto a alta temporada de viagens de verão do Hemisfério Norte se aproxima

Aeroporto do Recife
Foto: divulgação/Aeroporto do Recife

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) anunciou os dados de transporte aéreo de passageiros de maio de 2022. Segundo o relatório, a recuperação das viagens aéreas acelerou, enquanto a alta temporada de viagens de verão do Hemisfério Norte se aproxima.

Nota: Voltamos às comparações de tráfego ano a ano, no lugar das comparações com o período de 2019, a não ser que especificado de outra forma. Devido ao tráfego reduzido em 2021, alguns mercados apresentarão taxas de crescimento ano a ano muito altas, mesmo que o volume desses mercados ainda seja significativamente menor em relação a 2019.

O tráfego total (medido em passageiro pagante-quilômetro ou RPKs) aumentou 83,1% em maio de 2022 em relação a maio de 2021, impulsionado em grande parte pela forte recuperação do tráfego internacional. O tráfego total atingiu 68,7% dos níveis pré-crise.

O tráfego doméstico aumentou 0,2% em maio de 2022 em relação ao mesmo período do ano anterior. Melhorias significativas em muitos mercados foram mascaradas pelo declínio ano a ano de 73,2% no mercado doméstico chinês, devido às restrições relacionadas à COVID-19. O tráfego doméstico de maio de 2022 atingiu 76,7% dos níveis de maio de 2019.

O tráfego internacional aumentou 325,8% em relação a maio de 2021. A flexibilização das restrições de viagens na maior parte da Ásia está acelerando a recuperação das viagens internacionais. Os RPKs internacionais de maio de 2022 atingiram 64,1% dos níveis de maio de 2019.

“A recuperação das viagens aéreas continua ganhando força. As pessoas precisam viajar e de fato viajam quando os governos eliminam as restrições relacionadas à Covid-19. Muitas das principais áreas de rotas internacionais – inclusive dentro da Europa e as rotas Oriente Médio-América do Norte – já estão ultrapassando os níveis pré-pandemia. A eliminação completa de todas as restrições relacionadas à pandemia é o caminho a seguir – a Austrália, nesta semana, foi o último país a eliminar as restrições. A principal exceção ao otimismo da recuperação das viagens é a China, que registrou uma queda dramática de 73,2% nas viagens domésticas em relação ao ano anterior. Sua política contínua de zero covid está fora de sintonia com o restante do mundo e mostra a recuperação consideravelmente mais lenta das viagens relacionadas ao país”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Mercados internacionais de transporte aéreo de passageiros

As companhias aéreas da Europa apresentaram aumento de 412,3% no tráfego internacional em maio de 2022 em relação a maio de 2021. A capacidade aumentou 221,3% e a taxa de ocupação subiu 30,1 pontos percentuais, atingindo 80,6%. O impacto da guerra na Ucrânia permaneceu limitado às áreas diretamente afetadas.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico apresentaram aumento de 453,3% no tráfego internacional em maio de 2022 em relação a maio de 2021, uma melhoria significativa em relação ao aumento de 295,3% registrado em abril de 2022 versus abril de 2021. A capacidade aumentou 118,8% e a taxa de ocupação subiu 43,6 pontos percentuais, atingindo 72,1%. Melhorias estão sendo obtidas devido à flexibilização das restrições na maioria dos mercados da região, exceto na China.

As companhias aéreas do Oriente Médio apresentaram aumento de 317,2% em maio de 2022 em comparação com maio de 2021. A capacidade aumentou 115,7% em maio em relação ao mesmo período do ano anterior, e a taxa de ocupação subiu 37,1 pontos percentuais, atingindo 76,8%. A reabertura progressiva dos mercados asiáticos está aumentando o tráfego nos hubs do Golfo.

As companhias aéreas da América do Norte apresentaram aumento de 203,4% em maio em relação ao mesmo período de 2021. A capacidade aumentou 101,1% e a taxa de ocupação subiu 27,1 pontos percentuais, atingindo 80,3%. Com a maioria das restrições eliminadas para os viajantes desta região, o turismo e a vontade de viajar continuam promovendo a recuperação das viagens internacionais, com várias outras áreas de rotas superando os resultados de 2019.

As companhias aéreas da América Latina apresentaram aumento de 180,5% em relação ao mesmo mês de 2021. A capacidade aumentou 135,3% em maio e a taxa de ocupação cresceu 13,5 pontos percentuais, atingindo 83,4%, a maior taxa de ocupação entre as regiões pelo 20º mês consecutivo. Algumas rotas, incluindo as da América Central para a Europa e para a América do Norte, estão superando os níveis de 2019.

As companhias aéreas da África apresentaram aumento de 134,9% nos RPKs de maio de 2022 versus maio de 2021. A capacidade aumentou 78,5% em maio de 2022 e a taxa de ocupação subiu 16,4 pontos percentuais, atingindo 68,4%, o menor entre as regiões.

Mercados domésticos de transporte aéreo de passageiros

Os RPKs domésticos da Índia aumentaram 405,7% na comparação ano a ano em maio de 2022 em relação ao aumento de 78,6% registrado em abril. Em maio de 2021, a Índia havia sofrido o surto de COVID-19 mais grave do país.

O tráfego doméstico dos Estados Unidos aumentou 26,1% em maio de 2022 em comparação com maio de 2021.

2022 x 2019

Os fortes resultados na maioria dos mercados internacionais e domésticos em comparação com o mesmo período do ano passado estão ajudando a demanda de passageiros a alcançar os níveis de 2019. O total de RPKs em maio de 2022 atingiu 68,7% dos níveis de maio de 2019, que foi o melhor desempenho em relação ao período pré-COVID-19 obtido até agora neste ano.

Conclusão

“A recuperação dos mercados de viagens é impressionante. À medida que nos aproximamos da alta temporada de verão no Hemisfério Norte, tensões no sistema surgem em alguns hubs na Europa e América do Norte. Ninguém quer ver passageiros sofrendo com atrasos ou cancelamentos. Mas os viajantes podem ter certeza de que as soluções estão sendo implementadas com urgência. Empresas aéreas, aeroportos e governos estão trabalhando juntos, mas preparar o número necessário de funcionários para atender à crescente demanda levará tempo e exigirá paciência nos poucos locais onde os gargalos são mais graves. No longo prazo, os governos devem melhorar sua compreensão de como a aviação opera e trabalhar mais de perto com aeroportos e empresas aéreas. Depois de criar tanta incerteza com mudanças impensadas nas políticas relacionadas à pandemia e evitando a maioria das oportunidades de trabalhar em conjunto com políticas baseadas em padrões globais, suas ações pouco fizeram para permitir o aumento planejado das viagens aéreas. Então, agora é inaceitável que o setor enfrente uma possível punição regulatória, já que vários governos criaram calendários regulatórios pós covid-19. A aviação atua melhor quando os governos e o setor trabalham juntos para definir e implementar padrões globais. Essa ideia é tão verdadeira pós-pandemia quanto era no século passado”, disse Walsh.


Leia também: Viagens de negócios deve atingir US$ 792 bilhões até 2026

Deixe uma resposta