MTur divulga duas publicações do turismo gastronômico

Documentos, lançados durante uma live promovida pelo órgão do governo federal, favorecem o planejamento de ações no setor por gestores públicos e privados

Tacacá, prato típico da culinária da Região Norte do Brasil. Foto Bruna Brandão
Tacacá, prato típico da culinária da Região Norte do Brasil. Foto: Bruna Brandão

O Ministério do Turismo disponibilizou nesta segunda-feira (13.06) duas publicações sobre turismo gastronômico: o “Estudo sobre Tendências de Turismo Gastronômico: Brasil 2030”, produzido em parceria com o Instituto Federal de Brasília (IFB); e o Boletim de Inteligência de Mercado em Turismo Gastronômico, elaborado pela Coordenação-Geral de Produtos Turísticos do MTur.

Os documentos foram lançados durante uma transmissão online promovida pelo órgão, destinada a interlocutores da Rede de Inteligência de Mercado no Turismo (RIMT) e ao público em geral. Os textos integram ações do Programa Nacional de Turismo Gastronômico, construído junto à Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e anunciado em março deste ano pelo MTur.

“Uma das prioridades desta gestão é fomentar o turismo gastronômico em todo o país, uma potência mundial na área. Não tenho dúvida de que, em breve, começaremos a colher os frutos desse trabalho e o Brasil ganhará um diferencial competitivo frente a outros destinos mundiais”, diz o ministro do Turismo, Carlos Brito.

As publicações reúnem perspectivas nacionais e internacionais do segmento. Durante a live, o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTur, Fábio Pinheiro, apontou benefícios das análises. “Os estudos favorecem o planejamento de ações, além de reforçarem que a gastronomia se insere em uma imensa cadeia produtiva, que gera emprego e renda a pequenas comunidades”, ressaltou.

O Programa Nacional de Turismo Gastronômico é fruto, ainda, de um trabalho organizado juntamente a uma rede de especialistas. A iniciativa, que teve uma cartilha explicativa divulgada durante a live, busca elevar a competitividade do Brasil no segmento e melhorar o posicionamento do país como destino gastronômico, com reflexos na movimentação de divisas e na criação de postos de trabalho.

Também presente à live, a diretora do Departamento de Inteligência Mercadológica e Competitiva do MTur, Nicole Facuri, enalteceu a união de esforços na área. “Com a união desses esforços, a gente consegue trabalhar políticas públicas muito mais robustas. É muito importante nós trabalharmos a diversificação da oferta turística, e o turismo gastronômico é fundamental para o posicionamento de um destino turístico”, observou.

A live também teve a participação dos consultores Richard Alves e Elimar Nascimento; da professora de gastronomia Ana Paula Jacques (IFB) e do chefe da Divisão de Ações de Promoção da Cultura Brasileira do Ministério das Relações Exteriores, Adam Muniz. O representante do MRE detalhou o programa “Brasil em Sabores”, voltado à promoção da gastronomia nacional no exterior.

O Programa Nacional de Turismo Gastronômico envolve ações de estruturação e promoção com o objetivo de desenvolver o segmento e efetivar a grande vocação do Brasil no setor. O objetivo é valorizar a diversidade e a singularidade da culinária do país e contribuir para a ampliação das vantagens competitivas do Brasil como destino gastronômico de excelência.


Leia também: MTur assina memorando com a Arábia Saudita

Deixe uma resposta