MTur repassa R$ 3,53 milhões para obras em praças de sete estados

Para o MTur, o investimento deve fomentar o turismo regional nos estados beneficiados com os repasses e movimentar a economia

Luziânia (GO) é uma das cidades contempladas com recursos do MTur para obras em praças públicas (Foto - Prefeitura de Luziânia - MTur)
Luziânia (GO) é uma das cidades contempladas com recursos do MTur para obras em praças públicas (Foto - Prefeitura de Luziânia - MTur)

Um investimento de R$ 3,53 milhões do Ministério do Turismo (MTur) permitirá que cidades de sete estados tenham melhores condições de receber visitantes e sediar eventos. Municípios do Acre, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Sul e Tocantins vão construir e reformar praças públicas.

“Em todo o país, as praças abrigam equipamentos públicos e eventos que atraem visitantes de outras cidades e estados próximos. Preparar devidamente esses locais significa reforçar o turismo de proximidade, uma das fortes tendências do pós-pandemia”, disse Gilson Machado Neto, ministro do Turismo.

Os repasses do MTur

Em Montenegro (RS) R$ 238,8 mil provenientes do MTur serão aplicados na implantação de um espaço do tipo na localidade Santos Reis. A área, cujas obras já têm uma empresa responsável contratada pela Prefeitura Municipal, deve impulsionar a busca por pontos turísticos como a Rota dos Sabores e Saberes.

No mesmo estado, Itaqui contará com R$ 287,3 mil para aprimorar a Praça Engenheiro Bélgio Cavalcanti, incrementando a procura pela cidade e seus atrativos culturais.

Ainda no Rio Grande do Sul, Pelotas receberá R$ 238,8 mil, destinados a melhorias na Praça do Obelisco Republicano. O local terá o monumento preservado e ganhará infraestrutura necessária à recepção de turistas, a exemplo de mobiliário urbano.

A também gaúcha Taquari, palco de atrativos como o Morro do Carapuça, disporá de outros R$ 238,8 mil para reformar a Praça Ori Ramos Porto.

Já em Minas Gerais, São Lourenço contará com R$ 287,3 mil para a segunda etapa da revitalização do calçadão de acesso à Praça João Lage. O objetivo é reforçar a procura pela região, que abriga vários restaurantes e lojas.

No mesmo estado, Imbé de Minas, a cerca de 340 km da capital Belo Horizonte e cenário de atrativos como a Igreja da Matriz, cachoeiras e montanhas, vai receber outros R$ 287,3 mil, reservados à reforma da Praça Manoel Joaquim Teodoro.


Leia também


Divino de São Lourenço (ES) disporá de outros R$ 287,3 mil para a construção de uma praça pública. O espaço busca aumentar a visitação na cidade, palco de pontos turísticos a exemplo do Pico da Bandeira e de eventos como a Festa de São Benedito.

Epitaciolândia (AC), por sua vez, na divisa entre Brasil e Bolívia, receberá R$ 369,4 mil para revitalizar a Praça 28 de Abril, a partir de obras já contratadas pela Prefeitura Municipal junto à empresa responsável.

Já Palmeirante, no Tocantins, contará com R$ 238,8 mil do MTur, que serão investidos na construção de uma praça pública na orla da Praia do Rio Tocantins.

O projeto, que inclui a implantação de mobiliário urbano, acessibilidade, iluminação e paisagismo, busca aprimorar a recepção de visitantes no município, cenário de atrativos como a Praia das Palmeiras e de eventos regionais tradicionais, a exemplo da Festa de São José e do Festejo de Nossa Senhora de Nazaré.

Na região Nordeste, Soledade (PB) receberá R$ 287,3 mil para reformar e implantar infraestrutura na Praça Alexandre José de Melo, aprimorando as condições de abrigar eventos como a Festa do Pavilhão.

No mesmo estado, Caaporã, que sedia a Festa de São Pedro, vai dispor de outros R$ 287,3 mil, destinados à revitalização e à instalação de equipamentos nas praças Nossa Senhora da Conceição e da Saúde.

Luziânia, em Goiás, que integra a região do entorno do Distrito Federal e é palco de eventos como a Festa Agropecuária, receberá R$ 486,1 mil, que serão aplicados em melhorias na pavimentação do acesso e na própria Praça da Igreja do Rosário.

As obras englobam paisagismo e a instalação de bancos e rampas de acesso, de forma a valorizar o patrimônio histórico-cultural da cidade e incrementar a movimentação econômica a partir do turismo.

Deixe uma resposta