Visit Iguassu participa de roadshow no Canadá e nos EUA

A ação in loco no Canadá e nos EUA faz parte de campanha assinada pela Embratur que convida os visitantes a viver experiências únicas no Brasil

Roadshow
Foto: Divulgação

As cidades visitadas pelo roadshow, promovido pela Embratur, “Visit Brazil. A Wow Experience”, serão: Toronto (Canadá), Chicago, Nova York, Miami e Los Angeles (EUA). A ação acontece de 21 a 30 de junho e conta com a presença do Visit Iguassu em representação à Gestão Integrada do Turismo. A participação de Foz do Iguaçu busca intensificar a presença em mercados internacionais, visando um melhor fluxo de visitantes estrangeiros.

A ação in loco no Canadá e nos EUA faz parte de campanha assinada pela Embratur que convida os visitantes a viver experiências únicas no Brasil. A campanha apresenta uma temática divertida e repleta de interjeições norte-americanas como forma de posicionar o país como o melhor destino para uma viagem inesquecível. Essas ações são reforçadas com a retomada gradativa dos voos internacionais, assim, ações de promoção e marketing retornam com força total.

Foz do Iguaçu participa como uma cidade que historicamente figura entre os três destinos brasileiros que mais recebem visitantes estrangeiros. No último ano antes da pandemia (2019), mais de 40% dos visitantes que estiveram nas Cataratas do Iguaçu, principal atrativo local, foram estrangeiros. Desses, quase 60 mil eram provenientes dos EUA e Canadá.

“Iguassu Falls sempre foi desejo do mercado internacional. Mas isso ficou estagnado por conta da pandemia. Houve uma desaceleração gigantesca e agora estamos trabalhando com foco para recolocar o Destino nas prateleiras internacionais. A IMEX Frankfurt, foi o primeiro grande evento no exterior e marcou a volta de Foz do Iguaçu ao mercado mundial. Logo em seguida, tivemos participação na Fiexpo, principal feira do segmento Mice da América Latina, que aconteceu no Panamá e, agora, Estados Unidos e Canadá, no estilo Road Show”, comenta a Diretora Executiva do Visit Iguassu, Elaine Tenerello.

Sempre com apoio da Embratur, a executiva aponta a importância de ações em conjunto, “o mercado precisa ser alimentado com informações atualizadas sobre o destino Brasil. Para isso, a melhor estratégia é estar onde há força de promoção da empresa e, de forma conjunta, otimizar recursos e ampliar as oportunidades de captação de eventos internacionais e promoção do destino Iguaçu junto aos players do mercado de lazer”.

Para o presidente do Visit Iguassu, Felipe Gonzalez, ainda há um longo caminho para percorrer, mas a entidade assume a cada dia um papel de protagonista nesse sentido. “Com um trabalho focado em ações estratégicas, temos certeza do retorno gradativo do turista estrangeiro. Com isso, buscamos estar presente em ações relevantes e representamos mais que os nossos associados, buscamos retorno para o Destino como um todo”.

Gonzalez avalia que o Road Show Experience – etapa América do Norte, contempla “mercados extremamente importantes para o turismo brasileiro e, para Foz do Iguaçu, isso não é diferente. Unimos forças entre os destinos Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu e pretendemos recuperar esses mercados através de ações estratégicas e focadas em resultados a curto e médio prazos”.

O mercado e tendência

Segundo a Embratur, o mercado norte-americano corresponde a 15% das viagens mundiais e apresenta o maior gasto médio de turistas no Brasil. Segundo Terry Dale, presidente da Associação de Operadores de Turismo dos Estados Unidos – Ustoa, neste momento de recuperação do setor a tendência é a busca por viagens com propósito e vivência com comunidades locais, tendo nas experiências ao ar livre a preferência de viagem.

O turista norte-americano (Canadá e Estados Unidos) ainda desconhece a dimensão territorial e diversidade do Brasil. Falta a noção do desenvolvimento e infraestrutura existentes no país. Para eles, o Brasil é considerado um destino exótico. É importante que se apresente a localização dos destinos brasileiros de forma objetiva, relacionando com os aeroportos de acesso e seus códigos Iata, mencionando também os tempos e modais de deslocamento.

Como o mercado busca destinos seguros e com boa infraestrutura, vale ressaltar questões referentes à segurança e segurança sanitária, além de apresentar a estrutura da hotelaria local, atrativos e aeroportos. Os turistas valorizam marcas e referências norte-americanas, ou seja, destacar cadeias hoteleiras internacionais pode atrair a atenção do público.

Solo Travel

Outra tendência que surgiu no mercado foi a “Solo Travel”, modalidade de viagem para aqueles que pretendem viajar sozinhos. Esse tipo de viagem atrai experiências individuais, mas não significa ser completamente autossuficiente. Em geral utilizam serviços totais ou parciais de uma agência de viagem ou operadora de turismo. Como exemplo, entre 2016 e 2019 nos Estados Unidos, a taxa de crescimento da palavra-chave para “Solo Travel” no google foi de 131%.

Por fim, trata-se de um público muito “digital” e prático, então é importante manter sempre informações claras nas plataformas e mídias digitais, com facilidade de acesso ao conteúdo.


Leia também: Embratur aponta 72 mil passagens compradas dos EUA para o Brasil

Deixe uma resposta