Iphan aprova projeto do Forte Noronha

Autarquia Federal emite parecer técnico e obras devem iniciar ainda em julho

Forte Noronha
Foto: Island by Cosme Johnny/Divulgação

O Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) concedeu o início das obras do Forte de Nossa Senhora dos Remédios, localizado na Baía de Santo Antônio, na Ilha de Fernando de Noronha, gerenciado pelo Consórcio Forte, desde abril deste ano. O cronograma do projeto, que entregará ao patrimônio tombado um novo equipamento de cultura e entretenimento, inicia nesta semana com movimentos de mobilização e organização do espaço que, por medidas de segurança deve ficar fechado para visitação nos próximos 120 dias.

Com propostas de arquitetura e iluminação assinadas pelos escritórios Meireles Pavan e Ilumination, respectivamente, os projetos apresentam abordagens inteligentes e criativas, valorizando os atributos culturais e priorizando os pilares de sustentabilidade ambiental do negócio.

“Respeito. Esse foi o ponto de partida para o desenvolvimento deste projeto. Respeito com o passado e o natural. Assim foi proposto o mínimo de modificações naquilo que é existente para que sua história seja preservada ao longo dos tempos. Após esta definição, readequamos apenas os ambientes de uso, trazendo ao empreendimento espaços de lazer, cultura gastronomia e contemplação”, pontua Bruno Meireles, arquiteto responsável pelo projeto.

Outro ponto priorizado na obra é o caminho na fortaleza, que será ajustado para tornar acessível todos os espaços, desde o pátio aos decks. Além disso, a paleta do projeto tem como referência a aplicação de elementos naturais e em tons brancos e cinzas presentes na paisagem local. Vale destacar ainda que toda proposta faz uso de madeira de reflorestamento, reforçando os propósitos de responsabilidade ambiental da gestão.

O Forte Nossa Senhora dos Remédios é um patrimônio do século XVIII, e o primeiro monumento tombado objeto de uma concessão no Brasil. Segundo Renata Borba, diretora executiva do Forte Noronha, esse modelo de administração será um projeto piloto para multiplicar ações de preservação e promoção do patrimônio cultural em todo país. “Além de todo o cuidado com o legado histórico e preservação, o projeto também contará com espaços multiusos, para diversas atividades, a exemplo de apresentações e oficinas de arte, cinema, música e dança”, pontua Renata Borba.

O Forte Noronha contará com áreas expositivas, museu interativo com dados históricos e ambientais da ilha, mirantes, arquibancada, espaço de entretenimento infantil, palco para apresentação de artistas locais, auditório, restaurante com capacidade para 500 pessoas sentadas, espaço para eventos privados com capacidade para 1200 pessoas, mesas compartilhadas, gazebos exclusivos.


Leia também: Aeroporto do Recife se conecta com 37 destinos em maio

Deixe uma resposta