NCL divulga resultados do primeiro trimestre

A NCL se torna a primeira operadora de cruzeiros a retornar com toda frota e com fluxo de caixa operacional positivo em março

NCL
Estela Farina, diretora geral da NCL para o Brasil (Foto - Nadine Alves)

A Norwegian Cruise Line informou nesta sexta-feira (13) seus resultados financeiros para o primeiro trimestre, encerrado em 31 de março de 2022 e forneceu atualização de negócios.

“Na semana passada, alcançamos o maior marco até agora em nosso Grande Retorno à Navegação com o Norwegian Spirit, o último navio da nossa frota a retomar a navegação, dando as boas-vindas aos hóspedes a bordo em Papeete, Tahiti. O esforço hercúleo para reiniciar nossa frota não teria sido possível sem a incrível coragem de toda a equipe Norwegian e o apoio inabalável de nossos principais parceiros e partes interessadas em todo o mundo”, disse Frank Del Rio, presidente e diretor executivo da NCL.

Liquidez, queima de caixa e plano de recuperação financeira

A companhia continua a tomar medidas proativas para aumentar a liquidez e flexibilidade financeira no ambiente atual e otimizar seu balanço. Em 31 de março de 2022, a posição total da dívida da empresa era de US$ 13,6 bilhões e a liquidez da empresa era de US$ 3,1 bilhões, consistindo em caixa e equivalentes de caixa e um compromisso de US$ 1 bilhão disponível até 15 de agosto de 2022

Como parte de seu plano de recuperação financeira, a empresa levantou aproximadamente US$ 2,1 bilhões por meio de uma série de transações de dívida em fevereiro de 2022 para otimizar ainda mais seu balanço. 

Os recursos dessas transações foram usados para resgatar todas as notas com garantia sênior de 12,25% com vencimento em 2024 e notas com garantia sênior de 10,25% com vencimento em 2026, com o saldo dos recursos previsto para ser usado para fazer pagamentos programados do principal da dívida com vencimento em 2022, incluindo quaisquer juros acumulados e não pagos sobre eles, bem como prêmios, taxas e despesas relacionadas, em cada caso.

A queima de caixa média mensal da empresa para o primeiro trimestre de 2022 foi de aproximadamente US$ 375 milhões, abaixo da estimativa anterior de aproximadamente US$ 390 milhões. Esta taxa de queima de caixa não inclui entradas de caixa de reservas ou contribuições de navios que voltaram ao serviço. A partir de abril de 2022, a Companhia retomou os pagamentos de amortização de dívidas que estavam diferidos durante a pandemia.

Resultados do primeiro trimestre de 2022

O prejuízo líquido GAAP (“Princípios Contábeis Geralmente Aceitos”) foi de $(1,0) bilhão ou EPS(Lucro por Ação)  de $(2,35) comparado ao prejuízo líquido de $(1,4) bilhão ou EPS de $(4,16) no ano anterior. A Empresa reportou prejuízo líquido ajustado de $ (760,5) milhões ou EPS ajustado de $ (1,82) em 2022. Isso se compara ao prejuízo líquido ajustado e EPS ajustado de $ (668,6) milhões e $ (2,03), respectivamente, em 2021.

A receita aumentou para US$ 521,9 milhões em comparação com US$ 3,1 milhões em 2021 devido à retomada das viagens de cruzeiro

As despesas operacionais totais de cruzeiros aumentaram 266,1% em 2022 em comparação com 2021, principalmente devido à retomada das viagens de cruzeiro. O aumento em 2022 reflete maior folha de pagamento, combustível e custos variáveis diretos de navios totalmente operacionais. O custo de alguns itens como alimentos, combustível e logística também aumentou devido à inflação.

O preço do combustível por tonelada métrica, líquido de hedges, aumentou para US$ 724, de US$ 590 em 2021. A empresa informou despesas com combustível de US$ 135,5 milhões no período.

As despesas com juros, líquidas, foram de US$ 327,7 milhões em 2022 em comparação com US$ 824,4 milhões em 2021. A diminuição nas despesas com juros reflete perdas menores com a extinção de dívidas e custos de modificação da dívida, que foram de US$ 188 milhões em 2022 em comparação com US$ 674 milhões em 2021. A diminuição nos juros a despesa também reflete a menor despesa com juros em relação aos refinanciamentos recentes, parcialmente compensada por saldos de dívida mais altos e taxas LIBOR mais altas.

Outras receitas (despesas), líquidas, foram receitas de US$ 38,1 milhões em 2022 em comparação com US$ 27,2 milhões em 2021. Em 2022 e 2021, a receita estava relacionada principalmente a ganhos em certos swaps de combustível e câmbio de moeda estrangeira.

Perspectivas

Espera-se que as despesas de capital previstas para construções não novas para todo o ano de 2022 sejam de aproximadamente US$ 500 milhões. As despesas previstas da empresa relacionadas a contratos de construção de navios foram de US$ 1,6 bilhão para o restante de 2022 e US$ 2,5 bilhões e US$ 1,4 bilhão para os anos encerrados em 31 de dezembro de 2023 e 2024, respectivamente.

A NCL possui financiamento de crédito à exportação para as despesas previstas relacionadas a contratos de construção de navios de US$ 0,9 bilhão para o restante de 2022 e US$ 2,0 bilhões e US$ 0,7 bilhão para os exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2023 e 2024, respectivamente.

Espera-se que as despesas com juros, líquidas, sejam de aproximadamente US$ 155 milhões para o segundo trimestre de 2022 e US$ 605 milhões para todo o ano de 2022, excluindo perdas na extinção de dívidas. Depreciação e amortização devem ser de aproximadamente US$ 180 milhões para o segundo trimestre de 2022 e US$ 750 milhões para todo o ano de 2022.


Leia também: NCL retorna com frota completa e tem 100% de ocupação em dois navios

Deixe uma resposta